“... Sob a Tua Palavra lançarei as redes" (Lc 5.5b)


'O Teu caminho, ó Deus, é de santidade.

Que Deus é tão grande como o nosso Deus?

Tu és o Deus que opera maravilhas e, entre os povos, tens feito notório o teu poder" (Sl 77.13-14)


sexta-feira, 16 de agosto de 2013

'Nada era d'Ele'

Estava pensando na bondade e no imensurável amor de Jesus Cristo...
Jesus Cristo, Rei dos Reis, que deixou Seu trono de Glória e, então, sofreu tanta dor, tanta humilhação da parte de homens impertinentes, arrogantes, egoístas. 
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~//~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Lembrei-me da poesia 'Nada era d'Ele', escrita por Giogia Júnior:

Disse um poeta um dia,
fazendo referência ao Mestre amado:
'o berço que Ele usou na estrebaria,
por acaso era dele? Era emprestado!

E o manso jumentinho,
que em Jerusalém chegou montado
e palmas recebeu pelo caminho,
Por acaso era dele? Era emprestado!

E o pão - suave pão
que foi por seu amor multiplicado
alimentando a multidão
Por acaso era dele? Era emprestado!

E os peixes que comeu junto ao lago,
ficando alimentado. Esse prato era seu? Era emprestado!

E o famoso barquinho?
Aquele barco em que ficou sentado
Mostrando à multidão qual o caminho
Por acaso era seu? Era emprestado!

E o quarto em que ceou ao lado dos discípulos
Ao lado de Judas que o traiu, de Pedro, que o negou
Por acaso era dele? Era emprestado!

E o berço tumular, que depois do calvário foi usado
de onde havia de ressuscitar
Por acaso era dele? Era emprestado!

Enfim, nada era dele!
Ma a coroa que Ele usou na cruz era dele!
E a cruz que carregou e onde morreu,
Essas eram de fato de Jesus!

Isso disse um poeta certa vez,
numa hora de busca da verdade;
mas não aceito essa filosofia
que contraria a própria realidade

O berço, o jumentinho, o suave pão,
os peixes, o barquinho, a sepultura e o quarto
eram dele a partir da criação;
Ele os criou - assim diz a Escritura;
mas a cruz que Ele usou, a rude cruz,
a cruz tosca e mesquinha,
onde meus crimes todos expiou,
essa cruz não era sua!
ESSA CRUZ ERA MINHA!

~~~~~~~~~~~~~~~~~//~~~~~~~~~~~~~~~~~~
'Oh, Jesus! Impossível retribuir tantos privilégios, tantos benefícios!
Obrigada Jesus, por ter morrido na cruz em meu lugar.
Obrigada Jesus, por ter dado, voluntariamente, a Sua vida por nós (1 João 3.16). Ninguém seria capaz de tirar Sua vida, mas, por amor, para que vivêssemos juntos na Eternidade, o Senhor mesmo a entregou por nós
Ensina-nos a reconhecermos, dia após dia, a preciosidade deste sacrifício para nossa Salvação, para o nosso existir.
Ensina-nos a obedecê-Lo sempre e, em todo tempo.

Jesus Cristo: Meu refrigério, minha esperança, o renovo para o meu amanhecer.
Jesus Cristo: o perdão que tanto necessito (1 Jo 1.9), o Único e Insubstituível caminho que me leva ao Pai (Jo 14.6).

Ao Senhor, toda nossa gratidão e toda nossa adoração!

Um comentário:

António Jesus Batalha disse...

Ao passar pela net encontrei seu blog, estive a ver e ler alguma postagens
é um bom blog, daqueles que gostamos de visitar, e ficar mais um pouco.
Eu também tenho um blog, Peregrino E servo, se desejar fazer uma visita
Ficarei radiante,mas se desejar seguir, saiba que sempre retribuo seguido
também o seu blog. Deixo os meus cumprimentos e saudações.
Sou António Batalha.