“... Sob a Tua Palavra lançarei as redes" (Lc 5.5b)


'O Teu caminho, ó Deus, é de santidade.

Que Deus é tão grande como o nosso Deus?

Tu és o Deus que opera maravilhas e, entre os povos, tens feito notório o teu poder" (Sl 77.13-14)


segunda-feira, 5 de agosto de 2019

"Deus que ouve, Deus que se importa comigo e com você"



Gênesis 21.8-18
Isaque nasce!
        Deus aparece e diz para Abraão que o faria fecundo, pai de numerosas nações) e, finalmente, quatorze anos após o nascimento de Ismael (filho de Abraão com Agar, serva de sua esposa, Sarai), Deus concede o filho prometido.
Isaque nasce e é desprezado pelo seu meio-irmão, Ismael.
        Certa madrugada, Abraão, acuado pelos freqüentes conflitos familiares e, orientado por Deus, entrega pão e água a Agar e a despede. 

Agar retorna ao deserto. 
        Na primeira ida de Agar ao deserto (Gênesis 16), Ismael estava em seu ventre. Agora, pela segunda vez, Agar se depara com o deserto de Berseba. Só que agora, a situação era pior.
        Agar não estava foragida por decisão própria. Estava ali forçada, por determinação de Abraão. Não tinha a alternativa de voltar. Sente-se traída, rejeitada. Não tivera culpa. Fora usada por sua senhora e agora, quando mais precisava de um ombro amigo; encontrava-se só, com seu filho, morrendo, num deserto.
        Quando acaba o suprimento, Agar deixa o menino sob um arbusto e se afasta, desesperada. Vai caminhando, chorando, por cerca de duzentos metros. Não quer presenciar a morte do seu filho. A garganta seca e o sol inclemente do deserto a sufocavam. Tinha consciência de que animais selvagens deveriam estar à espreita, prontos para devorá-los. Agar, então, procura apoio, clama ao Único que poderia ajudá-la (Gn 21.8-21) e Deus fala com Agar:
“Que tens, Agar? Não temas, porque Deus ouviu a voz do menino, daí onde está. Ergue-te, levanta o rapaz, segura-o pela mão, porque Eu farei dele um grande povo” (Gn 21.17-18).

Este é o nosso Deus, Deus que ouve o nosso clamor, que se importa com a nossa dor. Deus que se deixa achar quando O buscamos de todo nosso coração.
Busque a Deus. Ele prometeu:
        Então, me invocareis, passareis a orar a mim, e eu vos ouvirei. Buscar-me-eis e me achareis quando me buscardes de todo o vosso coração. 
 (Jr 29.12-14).

"Deus que vê, Deus que acode e acolhe"


Por volta de 2.000 anos a.C., Abrão e Sarai, peregrinavam rumo a Canaã, terra fértil, onde construiriam uma grande linhagem, conforme promessa de Deus (Gn 15.1, 5). Mas, o tempo passava e Sarai não gerava filho. Um dia, já com idade avançada, Sarai procura Abrão e diz: - “Eis que o Senhor me tem impedido de dar à luz filhos; toma, pois, a minha serva, Agar, e assim me edificarei com filhos por meio dela” (Gn 16.2). 
        O projeto de Sarai se cumpre. Agar, sua escrava egípcia, engravida. Mas, ao invés de trazer alegria, gera confrontos e tristeza. Sarai, desprezada por Agar, pela sua infertilidade, revida e humilha Agar. A situação fica tão insustentável que Agar foge para o deserto.
        No deserto de Sur, a caminho de sua terra, o Egito, Agar senta-se junto a uma fonte de água. Um anjo de Deus aproxima-se, ordena que ela volte para junto de Sara e diz que o seu filho deveria ser chamado Ismael que significa: “porque O Senhor te acudiu na tua aflição”.
        Ali, no deserto, angustiada, Agar declara: - “Tu és Deus que vê; pois disse ela: Não olhei eu neste lugar para aquele que me vê?” (Gn 16.13). Agar obedece. 


Olhe para o Deus que vê... 
Deus que conhece o tamanho da sua luta. 
Deus que acode e acolhe.
Deus que transforma o deserto da dor em mananciais de alegria.

Disse Jesus: "Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados e Eu vos aliviarei" (Mateus 11.28)


segunda-feira, 6 de maio de 2019

Maio de 2019: "Aniversário cheio de emoções"

Aniversário cheio de emoções: 
1. Café na cama, feito pelo meu maridão: 

2. Declaração da minha filha Deborah, no instagram:
"Maio é duplamente dela 👩‍👧♥️ 
Essa semana tem níver (6/maio) e dia das Mães. 
E tem fotinha com texto de uma saudade acumulada: 
"Um dia desses, o som dos caminhões reformando nossa rua em Uberlândia, me lembraram do barulho do filme 'Jurassic Park' quando Dinossauros estavam por perto. 
Minha mãe entrou no quarto enquanto eu pensava nisso e eu a alertei: "Mãe... cuidado! Tem dinossauros lá fora!". 
Ela parou por um instante, me olhou séria e logo respondeu, convicta: "Tá bom! Eu mato eles pra você!" . 
Eu ri da espontaneidade dela diante da frase sem pé nem cabeça. 
Mas pensei: É... minha vida toda, ela ajudou mesmo a matar meus dinossauros! 
Sempre com essa disposição firme e incondicional. 
Dinossauros que vieram desde no formato de aprender a amarrar um tênis badernado, até como duras noites de finalizações de TCC, com aquele incentivo q, mesmo à distância, deixava td mais leve.
 Alguns dias, calamitosos dinos em forma de perigosíssimas baratas voadoras! E como são tumultuados esses enfrentamentos... 
Mãe: Amor q tende ao infinito. Amor disposto a matar dinossauros! 
Ou a ensinar ou nos dar armas para enfrentá-los sós. 
Mãe é aquele aconchego nos tantos anos longe de casa, e a certeza de ter âncora em um porto seguro. Ela já é a minha maior saudade! 
Digo que já é, porque cada fase que passou teve uma cor, um cheiro, um gosto bom q não se repete e já deixa ativa aquela 'saudadinha' boa q aquece o coração. 
Quentinho como nas orações antes de dormir, que ainda depois de mais velha, ajudam a lembrar que Deus continua cuidando de td; com aquela voz de tom tão conhecido, quase naquele mesmo balanço das músicas de ninar... 
Não consigo imaginar uma mãe melhor. Perfeita! Mesmo nos defeitos que todos temos, ela é perfeita. 
Minha mãe linda, professora, médica por aclamação, melhor amiga, presente de Deus na nossa família... e um terror pros meus dinossauros 😊💛"
Obs: Deborah diz que eu sou médica dela. Mas, ela me despede sem remoroso quando ofereço leite quente com café rsrs

Com meus filhos Deborah e Leandro

terça-feira, 23 de abril de 2019

"Sucesso sem sucessor, é fracasso"


            Ouvi e gostei muito. Myles Munroe, pastor em Bahamas, pouco antes de sua morte, em nov/14, declara que somente deixa um bom legado quem investe em  pessoas e que o sucesso só é sucesso quando deixamos um sucessor: O sucesso sem sucessoR é fracasso.  
           Jesus Cristo investiu em pessoas, não construiu igrejas, organizações e Ele disse: 'É melhor que Eu vá porque a minha ausência é a sua grandeza' (Jo 14.12-13). 

            Qual o motivo de estarmos vivos? Há um propósito do Senhor para as nossas vidas. Como filhos legítimos de Deus somos chamados para deixar um legado. Um legado eterno.
            Perguntaram para o contador de um milionário: "Quanto ele deixou?" O contador respondeu: "Deixou tudo, não levou nada com ele".
            Que sejamos lembrados não pelo que amealhamos e sim pelos relacionamentos que cativamos e conservamos; por estratégias que promovemos e encontraram abrigo em outros corações. Pela grandeza da saudade que deixamos.
“...Prepara-te, ó Israel (ó leitor)
para te encontrares com o teu Deus” (Am 4.12). 

     Que ao chegarmos na eternidade, Deus olhe para mim e para você e diga: “Muito bem, servo bom e fiel, fostes fiel no pouco, sobre o muito te colocarei, entra no gozo do Teu Senhor” (Mt 25.21).
     Que isto seja real na nossa vida. Que possamos estar preparados e com as nossas mãos repletas de frutos preciosos, que não sejam palhas consumíveís e sim ouro depurado na presença do Pai.
 “Eu sou aquele que sonda mentes e corações, 

e vos darei a cada um segundo as vossas obra” (Ap 2.23)

         'O sucesso sem sucessor é fracasso' 
Ah, como este conceito vale também na vida secular: na carreira acadêmica, em empresas, na liderança de uma igreja, de uma comissão... As pessoas, com o coração aberto, que promove o outro, colhe muito mais do que pessoas mesquinhas, que cultivam 'reininhos' e que lutam para conservar seu poder e abafar o outro. A Bíblia já nos adverte:
"A quem dá liberalmente, 
ainda se lhe acrescenta mais e mais; 
ao que retém mais do que é justo, ser-lhe-á em pura perda. 
A alma generosa prosperará, 
e quem dá a beber será dessedentado" (Pv 11.24-25).

         Que não busquemos glória humana e sim fazer a vontade de Deus, com ou sem reconhecimento do nosso próximo. O essencial é sermos canais da água da vida (Jesus Cristo) para que ao Seu nome, pessoas se dobrem e confessem que somente Deus é o Senhor!



quarta-feira, 6 de fevereiro de 2019

"Bodas de Oliveira - 34 anos de casamento"


02/02/19: 34 anos de casamento - “Bodas de Oliveira”
"...eis que o Senhor está entre mim e ti, 
para sempre" (1 Sm 20.23b).

No Restaurante 'O Bacalhoeiro' (Rua dos Sapateiros, 218) em Lisboa (Portugal), estava escrito num vidro de azeite: "Com este fio não darás nós, mas criarás laços. Atrás o bacalhau e o grão, ligarás a salada e os legumes, molharás o pão e os beiços e temperarás a família, a amizade" (lagarvalesarzedo@hotmail.com)

No dia 02/02/19, fui pedida mais uma vez em casamento 😊. Lindo demais... 
Completamos 34 anos de casamento: ‘Bodas de oliveira’. Oliveira que produz o azeite que liga, tempera, forma laço em sabores tão diferentes. Laço que é encaixe, cumplicidade e não nó que sufoca. Laço que é parceria, enfeita e envolve, aconchega e alia.

Que, neste novo ano juntos, possamos continuar a cultivar aconchego entre nós e entre nossos filhos e amigos, tão especiais. Que saibamos saborear cada momento como se fosse único e extraordinário, deixando marcas inesquecíveis de doçura e serenidade mesmo nos 'nós da vida'.

Obrigada Leomam por resgatar em mim a crença no casamento. Tantos anos juntos e tantas realizações... que, com certeza, eu não conseguiria fazer sozinha. Sou grata a Deus pela Sua Presença que nos fortalece e ensina a apoiar o outro, em todo tempo: "Quem é esta que sobe do deserto e vem encostada ao seu amado?" (Ct 8.5).


Mas, é interessante refletir ainda sobre a oliveira e o azeite, que representam estas Bodas. Na Bíblia, a oliveira e o azeite simbolizam a esperança (Gn 8.11), a paz, a união, o sobrenatural de Deus (Gn 28.18, 35.14; Lv 14.10-18), a unção – Presença do Espírito Santo que transforma e capacita (Ex 29.2-23; Lv 6.15-21), a cura (Mc 6.13; Lc 10.34; Tg 5.14), a fartura (Dt 8.7-8), a resistência a secas prolongadas e  a longevidade (oliveiras tem raízes profundas), além da alegria perfeita (Sl 45.7; Hb 1.9).

Leomam, que sejamos sempre oliveira frondosa na casa de Deus, produzindo frutos dignos e agradáveis ao nosso Pai (Sl 52.8-9) e que a benção de Deus continue repousada sobre nós: “Teus filhos serão como mudas de oliveiras ao redor da tua mesa (Sl 128.3).






domingo, 6 de janeiro de 2019

"O poder da oração"

Elias experimentou o sobrenatural de Deus, pelo poder da oração. Seu clamor fez com que não faltasse alimento na casa de uma viúva que morava em Sarepta (1 Rs 17.8-16) e , também pela oração, o filho desta viúva ressuscitou (1 Rs 17.17-24). 
Elias enfrentou ainda os profetas de Baal no Monte Carmelo e, pelo poder da oração, pegou fogo aonde havia água (1 Rs 18.20-40).
Em outra circunstância, o fogo caiu do céu e matou capitães do exército e seus homens (2 Rs 1.9-16).
Pelo poder da oração, o Rio Jordão com o seu manto (2 Rs 2.8).
Rio Jordão - Israel







Tiago estimula o cristão a orar e diz que Elias era homem semelhante a nós, sujeito aos mesmos sentimentos (Tiago 5.17). É verdade, Elias sentiu medo da rainha Jezabel, ficou deprimido e, até pediu a Deus pra morrer (1 Rs 19.1-5). 

Então, por que Elias experimentou milagres extraordinários?
Tiago responde: Elias orava com instância!

O que significa instância? 
De acordo com o latim, instância significa proximidade (intimidade), assiduidade, veemência. 
Veêmencia, por sua vez, significa empenho, ardor, entusiasmo, interesse.

Que, em 2019, possamos orar a Deus com instância e sermos usados por Ele para inigualáveis e abundantes colheitas, em todas as áreas de nossas vidas.

quinta-feira, 13 de dezembro de 2018

'LAR-EIRA aconchegante'

Por mais que sejamos vitoriosos na nossa vida (profissional ou financeira), a melhor vitória é termos uma 'LAR-EIRA aconchegante', pra onde voltar e repousar, bem acompanhado. 
         Ontem (12/12/2018), Leomam e eu completamos 35 anos de namoro e 34 de noivado. Sempre considerei que o melhor relacionamento, atividade, emprego é aquele que nos leva mais perto de Deus e do Seu projeto pra nossa vida.     
           Quanto jovem, pensava que o casamento não era uma boa opção. Considerava que minha carreira universitária e o trabalho na igreja eram o bastante pra mim.
           Com o passar dos anos, o desejo de ser mãe e ter um companheiro começou a arder em meu coração, e eu comecei a orar e pedir a Deus que tirasse este sentimento ou que me desse um cônjuge, segundo o Seu coração.
            Apesar de conhecer o Leomam há anos e tê-lo apenas como um bom amigo, por motivos extraordinários que aconteceram (um dia eu conto rsrs), comecei a enxergá-lo com outros olhos.
Julho 1983 - 6 meses antes do início do namoro
              Hoje, casados há quase 34 anos, dois filhos abençoados, louvo a Deus por tudo que passamos e, apesar das muitas lutas, estamos juntos numa parceria que se fortalece a cada dia, um apoiando o outro, em todo tempo:
"Quem é esta que sobe do deserto e vem encostada ao seu amado?" (Ct 8.5).       
Que o nosso casamento, amor e comunhão se renovem, dia a dia, assim como a nossa fé, a alegria da nossa salvação e a nossa esperança no Senhor, um Deus que se importa conosco. E, que antes de tudo, o nosso desejo seja agradá-Lo e cumprir o Seu propósito.
E, que sempre, tenhamos a consciência de que tudo que temos é o bastante, o suficiente, o que precisamos pra desfrutar de uma vida digna e plena: "Entrega o teu caminho ao Senhor, confia n'Ele e o mais Ele fará" (Salmo 37.5).