“... Sob a Tua Palavra lançarei as redes" (Lc 5.5b)


'O Teu caminho, ó Deus, é de santidade.

Que Deus é tão grande como o nosso Deus?

Tu és o Deus que opera maravilhas e, entre os povos, tens feito notório o teu poder" (Sl 77.13-14)


quarta-feira, 12 de julho de 2017

'Quem não ouve conselhos, ouve: coitado...'

       'Quem não ouve conselhos; ouve: coitado' (Rev. Hernandes D. Lopes)


         Conta-se que o comandante de um navio avistou uma luz em rota de colisão e pediu pra que o responsável alterasse seu curso 15 graus para o norte. A resposta foi: 'Nós recomendamos que os senhores mudem seu curso 15 graus para o sul'. O comandante ficou muito bravo e insistia aos berros que ele que mudasse e que isto fosse feito imediatamente. Até que ouviu:'É impossível, senhor, somos um farol e estamos num rochedo'
          
         Arrogância, rebeldia, quantos desastres tem causado... 
         Por conta dela, muitos permanecem a um leito de dor ou numa cadeia ou mesmo, num cemitério. Outros se afligem por um casamento infeliz ou divórcio que poderiam ter sido evitados, se ouvissem conselhos. 
         Há quem culpe a Deus por decisões erradas que tomaram, mesmo com sinalizações contrárias.
         Por falta de temor a Deus mofam numa vida sem significado.      
         Desperdiçam a vida...         
"... Pois eles não querem mudar de vida 
e não temem a Deus" (Sl 55.19b - NTLH)

         Parafraseando Saint-Exupéry: "Você se torna eternamente responsável por tudo aquilo que Deus alertou (por meio de Sua Palavra, de líderes, de circunstâncias e em sua própria consciência), e você ignorou"         

         Efraim foi o segundo filho de José do Egito (Gn 41.50-52). Recebeu este nome porque disse José: "Deus me fez próspero na terra da minha aflição". Um nome que falava de angústias transformadas em vitórias, pela intervenção de Deus.
         Efraim foi adotado como filho e como primogênito de José por Jacó, seu avô, para que tivesse os mesmos privilégios (Gn 48.5; 13-14, 20b). Assim, foi considerado o fundador de uma das 12 tribos de Israel: Tribo de Efraim.
Esta tribo ocupava o centro de Canaã, sendo chamada posteriormente de Samaria. Por se tratar de uma região montanhosa e extremamente fértil, Efraim tornou-se uma tribo dominante e temida.
Rio Jordão - 2010
         Este homem, portador de uma herança tão nobre, passou por lutas difíceis e por muita dor. Conta a Bíblia que dois dos filhos de Efraim foram mortos pelos homens de Gate, como 'ladrão de gado' (1 Cr 7.20-29). Acredita-se que José tenha visto seus netos serem mortos nesta situação tão humilhante e vergonhosa (Gn 50.23).
         As coisas iam mal pra Efraim. Chorou muito pelos seus filhos e foi consolado pela sua família (1 Cr 7.22-23).
          

        Assim como Efraim, muitos servos do Senhor tem chorado amargamente decisões de seus filhos. Alguns, afundados pelas drogas, prostituição, distanciamento de Deus. Efraim perdeu dois filhos de modo vergonhoso, mas nem tudo na sua história foi derrota.  Anos mais tarde, um de seus filhos, Berias, afugentou os moradores de Gate (1 Cr 8.13) e uma de suas filhas tornou-se empresária de sucesso, construtora de cidades (1 Cr 7.24). 
         Efraim foi ancestral de Josué, servo obediente a Deus, o grande líder na conquista de Canaã, fato que mudou a vida de todo povo de Israel. 
         Após a morte do Rei Salomão e da divisão do reino, um descendente de Efraim, Jeroboão, tornou-se o primeiro Rei de Israel (1 Reis 11.26). Reinou 22 anos. Entretanto, Jeroboão não aproveitou tamanho privilégio e sacrificou a ídolos.
         Assim, prossegue a vida, com vitórias e derrotas, resultantes das nossas escolhas pessoais. 

          Certo pastor disse que Deus perdoa os que atropelam a justiça, os que mentem, os que traem, desde que hava arrependimento e pedido de perdão a Ele (1 João 1.9). Entretanto, Deus não perdoa o pecado da rebelião. 
"Abominável é ao Senhor todo arrogante de coração; 
é evidente que não ficará impune" (Pv 16.5).


          Que possamos ser verdadeiros adoradores e reconhecer que nada somos e sem Deus nada podemos fazer. Que busquemos, no dia a dia, desenvolver e praticar o fruto do Espírito Santo: o amor e a paciência que tolera, que não critica, que não exige desempenho; a paz com todos, os bons pensamentos e atitudes, a mansidão, o domínio prório.
          Na Antiguidade quando um general romano voltava de uma guerra, entrava em Roma numa biga, se dirigindo ao Senado, onde ia ser aclamado. Um escravo acompanhava a biga a pé e, a cada quinhentas jardas, subia na biga e soprava no ouvido do general: "Lembra-te que és mortal".
         Que estejamos sempre dispostos a ouvir conselhos, a filtrá-los pela Palavra de Deus, mudando com humildade nosso proceder quando necessário, sempre lembrando que: 'somos mortais'!

'Deus, livre-me do pecado da rebeldia, da obstinação, da arrogância. Dê-me, em Cristo Jesus um espírito manso e humilde e cria em mim um coração puro e inabalável, sempre disposto a serví-Lo e a adorá-Lo, em todo tempo. Que toda honra, toda glória, todo louvor eu devote somente ao Senhor, meu Deus e Pai, Único merecedor!'

quarta-feira, 31 de maio de 2017

"Como voltar para o Senhor?"

“Volta, ó Israel, para o Senhor, teu Deus,
porque, pelos teus pecados, estás caído.
Tente convosco palavras de arrependimento e
convertei-vos ao Senhor...

Serei para Israel como orvalho, ele florescerá como o lírio e
lançará as raízes como o cedro do Líbano.
Estender-se-ão os seus ramos,
o seu esplendor será como o da oliveira,
e sua fragrância como a do Líbano.
Os que se assentam de novo à sua sombra voltarão...

Eu te ouvirei e cuidarei de ti; sou como o cipreste verde;
de mim procede o teu fruto” (Oséias 14.1-8)

          Você tem se sentido incomodado, com a fé fraquejando, distante de Deus? Parece que suas orações batem no teto e voltam? Pensa que Deus se esqueceu, desistiu de você?  
          Um ditado português diz que a ausência de uma andorinha não acaba com a primavera. Não permita que as privações e as perdas tenham o poder de tirar a primavera do seu coração.
          Que tal respirar fundo e buscar o Pai, com toda determinação?
Vinde, tornai para o Senhor Deus que sara, renova, levanta o abatido (Os 6.1-2). Deus que ouve, que cuida de nós, que nos capacita a frutificar (Os 14.8)

Mas, o que é voltar para o Senhor? 
É buscá-Lo insaciavelmente.
É querer mais, é sair da superficialidade. 
É enraizar como o cedro do Líbano alcançando águas profundas mesmo na aridez.

          O cedro do Líbano, árvore conífera que atinge até 40 metros é longeva e simboliza a força e eternidade. Perfuma o ambiente, não é afetada pelas intempéries (tempestades, secas) porque enraíza densa e profundamente. 
          Enquanto a planta cresce devagar, suas raízes crescem rapidamente. Nos primeiros anos de vida há plantas com 5-7 centímetros com raízes com quase dois metros de profundidade. Raízes que contornam pedras, trazem firmeza e alcançam águas profundas.
https://planetasf.files.wordpress.com
          Quando voltamos para o Senhor aprendemos a contornar os obstáculos com firmeza, a sermos felizes nas circunstâncias (em todas elas) e não com as circunstâncias (Fp 4.11). 
          "Pessoas resistentes são como um galho que tem um centro fresco, verde e vivo. Quando é torcido, o galho se dobra, mas não quebra. Em vez disso, ele vola à posição original e continua crescendo" (Aging Well)
          Assim são as pessoas que, mesmo quebrado pelas intempéries, conservam sua essência ligado naqu'Ele que gera e mantém a vida e o frescor. 
         Volte para o Senhor, busque a Ele em oração, rasgue o seu coração, conte tudo o que sente, sem artifícios. 
           Voltar para o Senhor é confessar os pecados e a sua necessidade da Presença d'Ele e do Seu perdão. É entregar-se ao Deus Pai, em Cristo Jesus. É pedir que Ele tome as rédeas da sua vida. É decidir buscar a vontade d'Ele, a transformação da sua vida, do seu temperamento. É crer e se aquietar com a certeza de que Deus não nos abandona e jamais desiste de nós. D'Ele procedem o fruto, o legado, uma vida que realmente vale a pena ser vivida. ALELUIA!
Eu te ouvirei e cuidarei de ti; sou como o cipreste verde;

de mim procede o teu fruto” (Oséias 14.8)
Louvado seja o nosso Deus que nos ama com amor incompreensível!
SOLI DEO GLORIA!!!
          



quarta-feira, 24 de maio de 2017

"O essencial é invisível aos olhos"

Saudações à mais nova míope quase-óculos-dependente:
(Texto de minha filha Deborah Nogueira Couto-
facebook, 24/05/2017)
        Eu estava aqui meditando sobre minha recém estabelecida condição de “miope-quaaase-óculos-dependente”. Eu já desconfiava disso, claro, mas ao renovar minha carteira de motorista, a certeza veio à tona. Passei, então, a observar coisas muito interessantes dessa minha nova situação.
        A minha miopia limítrofe, por exemplo, me aproxima da natureza.    
        








Essa semana, olhando pela janela, vi na sacada do prédio mais próximo, um lindo papagaio. Ele era mesmo mto bonito, verde, imponente, apoiado na grade e se movendo delicadamente. Achei uma paisagem renovadora e me animei para continuar a rotina. Minha surpresa foi perceber, momentos depois e com lentes em face, que o meu amigo penoso era, na verdade, uma plantinha. Sim, uma monocotiledônea mto bonita, verde, imponente, apoiada na grade e se movendo papagaiosamente; biólogos me perdoem, só faltava falar pra ser um papagaio. Concluí, então, que minha vida míope deixa a natureza mais diversificada.
        Um outro dia, andando pelos corredores do hospital (sem meus óculos-quase-necessários), encontrei inesperadamente com um dos alunos que mais gostava da turma de medicina . Logo fui exclamando: “Olha só quem tá aqui!”... e esse aluno de tão simpático que um dia foi, passou reto por mim com um olhar constrangido e eu logo vi que era um ilustre ser humano desconhecido. Observem que a vida míope me faz mais sociável! (E claro que, para disfarçar, tratei logo de fingir que a parede da Pneumologia, logo atrás, era minha amiga de longa data e que a saudação calorosa havia sido destinada a ela. Tudo tem conserto!).
        No trânsito, então, é fantástico! Sou conhecida internacionalmente pela minha habilidades de localização. Daí, quando demoro uns metros a mais para conseguir ler as placas, a chance de eu dirigir até a Patagônia acidentalmente aumentam exponencialmente. A vida míope me faz conhecer novos lugares!
        E por falar nisso, voltando à renovação da minha carteira de motorista - A médica examinadora logo me avisou: “Deborah, seu exame está no limite do aceitável. Se seu grau piorar um pouquinho, deverá usar óculos para dirigir, obrigatoriamente”. Aquilo foi um balde de água fria na minha vida de pessoa opticamente apta. Mas me senti obrigada a confessar: “Doutora, eu já uso óculos para dirigir longas distâncias a noite... Para que não precise forçar demais.” Acho que ela gostou da minha sinceridade e, descobrindo que também sou médica, foi logo me convidando para seguir a especialidade e ir trabalhar com ela. A vida míope me oferece novas oportunidades trabalhistas!
        Tudo bem, tudo bem... É óbvio que é ótimo ainda não depender de óculos o dia todo, todo dia, mesmo me sentindo bem fashion com meus queridos óculos vermelhos! Mas o mais legal de tudo mesmo, é poder enxergar. Sou grata por isso. E quando bate a saudade do meu avô que perdeu a visão anos antes de morrer, poder lembrar que, mesmo cego, ele “enxergava” melhor que muita gente me faz suspirar! É...   Existem muitas formas de visão. Algumas muito mais importantes que outras, mas nós tendemos a nos preocupar sempre com aquela que nos oferece a noção material do que está à nossa volta.
        Que Deus mantenha nossa visão “física” e nos ajude a abrir os olhos para o essencial, que é, de fato, invisível aos olhos (Bem observado, prezado pequeno Príncipe, seu fofinho. Continue conversando com plantas... ou papagaios, dependendo da lente).

P.S. Visite e divirta-se com o instagram da Deborah: https://www.instagram.com/rabiscos_deh/


quarta-feira, 26 de abril de 2017

'Decisões essenciais e inadiáveis'

          Após a morte do Rei Salomão, o Reino de Israel foi dividido em duas regiões (922 a.C):
* Israel, Reino do Norte, cuja capital era Samaria.
* Judá, Reino do Sul, cuja capital era Jerusalém.
          Duzentos anos depois (700 a.C), Israel foi destruída e o povo levado cativo pelos assírios: "... porque os israelitas não obedeceram ao Senhor..." (2 Rs 18.12).

          Neste período, surge um personagem formidável, o Rei Ezequias, que fala muito ao meu coração (2 Crônicas 29.1-11). 
          O Rei Ezequias era filho do Rei Acaz, rei perverso que chegou a queimar seus próprios filhos, morrendo sem honra (2 Cr 28.3,27). Neste clima de abominação, Ezequias, com 25 anos, assume o reino de Judá (2 Cr 29.1).

          O que eu aprendo com a história de Ezequias?
1.  Que a minha herança genética (2 Cr 28.1-6) e cultural, o meu passado, as circunstâncias em que eu vivo não podem ter o poder de decidir o meu presente ou o meu futuro.
         Penso que repetir os erros dos pais é uma decisão pessoal. Assim como, tornar-se prisioneiro de um passado de derrotas e rejeições, procurando culpados, acusando familiares e as precárias oportunidades que teve.
         Tenho uma amiga que nasceu num lar muito difícil, fruto de um relacionamento fugaz, de uma mãe ainda adolescente. Refletindo sobre o seu futuro, entendeu que se cumprisse os conselhos que recebia de sua família, poderia ter o mesmo destino de sua mãe. Decidiu fazer diferente. Hoje é uma profissional de muito sucesso, com uma família linda, equilibrada, exemplar.
"Declare o passado, diagnostique o presente e 

preveja o futuro" (Hipócrates, séc V a.C).
         
         Conta-se que Ezequias, ao assumir o trono, enxergou que o povo jazia na miséria e no opóbrio perante as nações vizinhas porque tinha se desviado o seu rosto do tabernáculo do Senhor e lhe voltado as costas. Então, reune os sacerdotes e os admoesta quanto a imundícia do santuário, por suas portas estarem fechadas e suas lâmpadas apagadas. Por não mais conduzirem o povo a adorarem a Deus. Completa, dizendo:
"Agora, estou resolvido a fazer aliança com o Senhor, Deus de Israel, para que se desvie de nós o ardor da sua ira" (2 Cr 10).

         Nossa vida é fruto de nossas decisões e existem algumas que não podem ser adiadas jamais! Tem que ser AGORA!
         Você já fez 1 aliança com o Senhor? Não desperdice a sua vida, faça agora ou renove!

         Decisões do passado nos trouxeram para o dia de hoje. Como está o seu hoje?
* A porta do seu coração está aberta para ouvir e obedecer ao Senhor? 
* Seu interior está limpo, pelo sangue do Cordeiro? 
* A lâmpada da Palavra de Deus está acesa no seu interior, indicando o caminho que você deve seguir? 
* O incenso de suas orações tem sido queimado na Presença do Pai? Incenso da adoração, da entrega, da submissão de tudo que tenho e que sou. 
          Quando isto não acontece, desfrutamos de uma vida medíocre, infeliz, miserável.
"Senhor, meu Deus, abre o meu coração, Templo do Espírito Santo que em mim habita, para ouvir a Sua Palavra, ilumine os meus caminhos, perdoa os meus pecados e faz de mim um adorador, sempre disponível na Sua Presença. Quero, agora, renovar minha aliança contigo. Cumpra-se em mim a Sua vontade, em Cristo Jesus".
          
2. Decisão sem atitude, sem mudança  não tem valor 
         O Rei Ezequias continua dizendo: "Filhos meus, não sejais negligentes, pois o Senhor vos escolheu para estardes diante dele para o servirdes, para serdes seus ministros e queimardes incenso" (2 Cr 29.11).
          Deus tem um propósito para sua vida.  
          O Rei Ezequias mandou os sacerdotes abrirem a porta do Templo, fazer uma faxina, removeu ídolos. 
          Na prática, como faço uma faxina? Reconheço que tenho pecado contra Deus e peço perdão e Ele é fiel e justo pra me perdoar de todo o pecado (1 Jo 1.9). Obrigada, Senhor! Louvado seja o Seu Santo nome por tamanha misericórdia!
          O Rei Ezequias foi tão arrojado e corajoso que arrebentou a serpente de bronze, relíquia antiga, que tinha 700 anos, da época de Moisés e que estava sendo idolatrada pelo povo.
          Tem alguma coisa, situação, pessoa, partido político que tem se tornado um ídolo na minha vida? 
"Deus, revela no meu coração aquilo que tem atrapalhado a minha comunhão contigo. Dê-me forças para abandonar e reverenciar somente ao Senhor" 

3. As minhas decisões afetam o meu presente, o meu futuro e também o presente e o futuro dos que convivem comigo.
         As consequências do que fazemos ou falamos respingam em todo mundo que convive conosco. Gestos, palavras, decisões são marcas impressas, 'coloca em funcionamento engrenagens com efeitos irreversíveis e eternos' (Rev. Magno Paterline).
          Ezequias mudou a história do seu povo quando decidiu fazer o que era reto!  

4. Mesmo fazendo a vontade de Deus, posso ter oposição (2 Cr 32.15,18,20);
          Ezequias teve oposição interna (2 Cr 30.7, 8a, 9-10), na forma de zombaria e externa (2 Cr 32.1-2; 13, 15, 18; 2 Rs 18.19). 
          Senaqueribe (Rei da Assíria) ameaça, ofende Ezequias, dizendo ao povo de Judá: “Não deis ouvidos a Ezequias, porque vos engana, dizendo: O Senhor nos livrará” (2 Rs 18.32b).

Ezequias anima o povo: 
“Sejam fortes e corajosos! Não tenham medo do Rei da Assíria e do seu enorme exército. Pois aquele que está do nosso lado é mais poderoso do que o que está do lado dele. Ele só conta com a força dos homens, mas do nosso lado está o Senhor, nosso Deus, para nos ajudar e para guerrear por nós” (2 Cr 32.7-8)

        Deus responde a oração do seu servo, Rei Ezequias e diz, referindo-se ao Rei da Assíria: 
“... Agora vou pôr uma argola no seu nariz e um freio na sua boca, e farei você voltar pelo mesmo caminho por onde veio” (2 Rs 19.28)
         O Anjo do Senhor fere mortalmente 185.000 assírios e o Rei Senaqueribe é morto pelo seu próprio filho (2 Rs 19.35-37).

5. Posso ter lutas, oposição, mas não estou sozinho.
Louvado seja Deus! Não estamos sós! Deus batalha por nós, diz:  
“... porque aquele que tocar em vós, 
toca na menina do seu olho” (Zc 2.8)

         Porque o Rei Ezequias se apegou ao Senhor e não deixou de segui-lo: "Assim, foi o Senhor com ele; para onde quer que saía, lograva bom êxito” (2 Rs 18.4-7).
         A decisão de Ezequias e suas atitudes resultaram num novo futuro para todo povo. Conta-se que ele restaurou muros (estabeleceu limites), torres (vigia), construiu cidades, um túnel de 533 metros, escavado na rocha sólida, sob Jerusalém (proeza de engenharia) para que a água fosse conduzida da Fonte de Gion até a piscina de Siloé, abastecendo Jerusalém sob o sítio dos assírios.
Entrada para o Túnel de Ezequias - Jerusalém 2010

Dentro do túnel de Ezequias - 2010
       Alguém disse: 'Não faça de sua vida um rascunho, você pode não ter tempo de passá-la a limpo'
        Avalie seu interior. Como esta o Templo do Espírito Santo? Peça perdão, tire os entulhos do Santuário. Considere os seus caminhos e volte seus passos para a Palavra de Deus (Sl 119.59). 
         Que façamos hoje, agora, um compromisso de buscar mais ao Senhor, de cuidar do nosso Templo e obedecê-Lo, em todo tempo.

        Quando? AGORA, como fez Ezequias (2 Cr 29.10)!
        E que Deus, como fez com Ezequias, nos presentei com uma vida extraordinária onde reine alegria (2 Cr 29.36; 30.26), interior sarado (2 Cr 30.20) e que tudo que fizermos esteja de acordo com o Seu projeto e seja bem sucedido, pra Sua honra e glória. 



quarta-feira, 5 de abril de 2017

Pedra de Escape - livramento na hora H'

"Saul ia de um lado do monte e Davi e os seus homens, do outro. 
Davi apressa-se para escapar, mas é cercado pelos homens de Saul. Não havia escapatória!
Então, veio um mensageiro a Saul para que se apressasse porque os filisteus tinham invadido a sua terra. 
Saul desistiu de perseguir a Davi e se foi contra os filisteus. 
Agradecido, Davi nomeia aquele lugar como  'Pedra de Escape'. 
Dali, segue para En-Gedi onde permanece seguro" (1 Sm 23.26-29)
      Davi estava encurralado pelo Rei Saul, sem saída. Saul tinha mais de 3 mil homens e Davi apenas 400. Saul tinha armas, Davi nada tinha.
      Entretanto, Deus envia uma distração para o Rei Saul: os filisteus. Saul desiste de Davi e Davi vai, então, para um lugar seguro.
      Este é o nosso Deus! Dá escape quando não temos alternativas, na nossa limitação, impossibilidade, nos desertos de nossas vidas.

      O seu casamento não tem mais jeito? Você anda endividado? Desempregado? Assustado com tantos desarranjos políticos e institucionais? A doença está assolando um amado seu? Você está num apuro, sem solução? Clame ao Senhor! Ele pode trazer o escape para sua vida. Ele é um Deus que está sempre nos surpreendendo.

      Não perca a fé, a confiança em Deus. Ele é a nossa esperança, a âncora que torna nossa vida segura e firme:
"... forte alento tenhamos nós que já corremos para o refúgio, a fim de lançar mão da esperança proposta; a qual temos por âncora da alma, segura e firme e que penetra além do véu, onde Jesus, como precursor, entrou por nós, tendo-se tornado sumo sacerdote para sempre, segundo a ordem de Melquisedeque" (Hb 6.18-20 - grifo acrescentado)
     
      Jesus Cristo, nosso refúgio, nosso lugar seguro, nosso En-Gedi, nossa liberdade! 
      Sim, eu sei que o meu Libertador vive, tudo pode e não está alheio a minha dor. 
      Eu não confio no meu arco e sei que não é minha espada que me salva (Sl 44.6). 
      Há um escape de Deus para nossa vida, uma porta aberta que Deus abre e ninguém conseguirá fechar.
      Ao invés de declarar que é impossível, é difícil, não tem mais jeito, clame ao Senhor dos Senhores, aqu'Ele que abre portas, mesmo onde só tem muralhas, que nos ajuda a tomar decisões nas pressões da vida. Que mesmo que a solução encontrada não seja a que queremos, é a melhor para o nosso futuro.


"Em Deus faremos proezas, 
porque Ele mesmo 
calca aos pés os nossos adversários" (Sl 108.13)

"Senhor, obrigada por não desistir de mim. Sei, que sem o Senhor, nada sou, nada tenho e nada posso fazer. Deus meu, confio somente no Senhor. Direcione minha vida e a vida dos meus familiares. Eu preciso do Senhor, da Sua proteção, da Sua direção, da Sua intervenção miraculosa em nossas vidas, na vida do nosso país. Em nome de Jesus Cristo. Amém!" 

terça-feira, 4 de abril de 2017

'Quem tem fé, vê!'

Aumenta, Senhor, a nossa fé!

Relato de uma experiência pessoal:
           Desde o nosso casamento, Leomam e eu sonhávamos em conhecer a Europa. Entretanto, quando ajuntávamos um pouco de dinheiro, tínhamos que dispor dele pra fazer uma reforma, trocar o carro, um ou outro imprevisto.
          Viajávamos muito com nossos filhos, pelo Brasil. Mas, para o exterior (com exceção de algumas idas aos países vizinhos ao Brasil), não.
          Em 2005, íamos fazer 20 anos de casados. Combinamos uma ida para o nordeste, somente nós dois, para comemorarmos. 
          Entretanto, no meu coração, pedi: 'Senhor, dá uma viagem pra Europa. A gente quer tanto ir, dá pra nós...'. 
          Na semana seguinte, recebi uma ligação dizendo que uma receita que eu tinha enviado pra Yoki tinha ganhado o primeiro lugar, o que representaria o prêmio de quarenta mil reais.
          Confesso que nem me lembrava deste concurso. Tinha mandado 3 receitas para Yoki em resposta a um anúncio que vi no supermercado: 'Sua receita vale uma casa'.
           Quando atendi a ligação, a princípio, achei que fosse trote, mas quando confirmado, contei pra minha filha, na maior euforia, já enumerando o que gostaria de comprar com este prêmio. Ela arregalou os olhos e disse: 'Mãe, vai pra Europa com o pai, você sonha tanto com isto'.
          Na hora lembrei da minha oração e disse: 'É verdade, pedi isto a Deus, Ele está nos dando...'.
          E, assim, fizemos nossa primeira viagem pra Europa, conhecendo sete países. Uma viagem fantástica, quando presenciamos em vários detalhes o agir sobrenatural de Deus, o passado que 'salta aos olhos', nos vários países que visitamos.
          Finalmente chegou o dia do retorno. Estávamos no aeroporto de Lisboa, numa fila imensa, com mais de 200 pessoas, esperando pra entrar no avião quando nosso nome foi chamado no alto-falante e uma moça nos tirou da fila e nos levou para o avião, sem nos dar qualquer explicação. Deixou-nos na primeira classe com cadeiras-camas totalmente controladas por controle remoto. Até a curvatura das costas!!! Além de todas as demais mordomias desde o cardápio, brindes, etc e tal. Como assim, por que nós? 
          Porque este é o nosso Deus! Deus de surpresas, do sobrenatural, que nos presenteia com maravilhas inusitadas. 

         Como não relatar o que temos visto e ouvido? 
         Para que todos saibam, entendam o que a boa mão do Senhor faz apesar de nós, apesar de sermos os seres mais carentes do Seu perdão e da Sua graça. 
          Apesar da nossa fé ser tão fraquinha... Pedi a Deus uma viagem pra Europa e estava programando uma viagem para o nordeste! 
           Quem tem fé, vê... Mas, e quando temos uma fé tão fraquinha? Deus supre assim mesmo pelo Seu tão grande amor. Ele conhece o nosso coração... Deus, na Sua misericórdia (miseri-cordia: coração na nossa miséria), atende o sonho do nosso coração. Inexplicável amor!
A Ele toda honra, toda glória e toda nossa adoração!


Aumenta, Senhor, a nossa fé!



segunda-feira, 3 de abril de 2017

"Deserto: disciplina do curriculum de Deus para nossa vida"

A UNIVERSIDADE DE QUERITE  (1 Reis 17:2-5)

O Rei Acabe (por volta de 850 a.C) casou-se com Jezabel, uma mulher perversa, adoradora de Baal. 
A situação em Israel estava tensa e o povo começou a se afastar de Deus e a adorar ídolos estranhos. 
Então Elias, indignado e, sob a direção de Deus, comunica ao povo que a terra passaria por um momento de seca, sem chuva e sequer orvalho. 
A seguir, Elias retira-se para o lado oriental, escondendo-se junto à torrente de Querite, fronteira ao Jordão. 
Alí, Deus ordena que corvos levem pão e carne para Elias, pela manhã e ao anoitecer. Elias bebia água da torrente, mas um dia ela também secou.
Então, Deus manda que Elias vá até Sarepta onde seria alimentado por uma viúva.
O que este momento ímpar na vida de Elias me ensina?
1. Com Deus, mesmo num deserto, não passamos necessidades.
"Fui moço e já, agora, sou velho, porém jamais vi o justo desamparado, nem a sua descendência a mendigar o pão" (Sl 37.25)
O deserto não é um acidente de percurso. Com Deus não há acaso.
Na Universidade de Querite, Elias fortaleceu a sua fé e aprendeu a depender de Deus. 
Um Deus que usa corvos, viúvas, o inusitado pra suprir nossas necessidades.
Um Deus que tudo pode e nenhum dos Seus planos pode ser frustado (Jó 42.2).
Um Deus que sabe o que faz. 
Lembro-me de uma missionária. Estava voltando de uma viagem, totalmente sem dinheiro. Conversou com Deus: "Pai, eu não tenho dinheiro algum pra pagar o último trecho da minha viagem. Não quero pedir dinheiro pra ninguém, sou sua serva, sua funcionária e creio no Seu poder de resolver esta questão".
Chegando na rodoviária, foi para fila do guichê. O rapaz da frente estava demorando, o caixa não tinha troco. Então, o rapaz virou-se e, com alegria, a reconheceu. Disse ao caixa: "Adiciona a passagem desta senhora aqui".  
Como eu sei desta história? Na hora, esta nossa irmã não comentou nada com este rapaz, que era grande amigo nosso. Um dia, ela pediu que eu contasse a ele.

2. No deserto, Deus trata do meu interior, trabalha em mim, me preparando para trabalhar através de mim. 
Deus tirou Elias dos holofotes, dos aplausos e o enviou para o deserto da solidão, para o anonimato, para a carência.
Convém que Ele cresça e eu diminua (Jo 3.30).
O deserto mostra ao meu coração o quanto sou pequena e o quanto necessito da providência de Deus.
Muitos servos de Deus cursaram a Universidade do deserto: Moisés, Davi, Jeremias e, no deserto, o caráter destes grandes homens foram moldados e preparados para uma grande missão.
Sem dúvida, o deserto faz parte do curriculum de Deus para a nossa vida. 

3. No deserto aprendemos a valorizar mais o Provedor do que a provisão
Moisés não dependia da mesa farta do Egito e sim da provisão de Deus.
Elias não desfrutava do palácio de Acabe e sim, da mesa farta do Senhor, mesmo no deserto. 

Muitos jazem no deserto porque olham a circunstâncias e não o Deus das circunstâncias. Deus, Pai de amor, que quer se relacionar intimamente com o homem.

Quando estamos fartos de vitórias, nossos corações podem se ensoberbecer e acreditar que somos suficientes. Então, quando as provações vem, ficamos confusos e abatidos. Por que? Porque cremos nas circunstâncias e nos esquecemos do Deus das circuntâncias. 
Um Deus que muitas vezes nos leva ao deserto para falar ao nosso coração, pra tratar conosco no nosso íntimo, pra nos acordar para o projeto que Ele tem destinado a nós.
Ah, o toque transformador de Deus... Toque que cura, que renova, que gera esperança e transforma uma vida mediócre numa vida extraordinária.
A Presença, o toque e a direção de Deus é tudo que eu anseio e preciso pra não desperdiçar minha vida.
 “Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração, prova-me e conhece os meus pensamentos. Vê se há em mim algum caminho mau e guia-me pelo caminho eterno” (Sl 139.23-24)
Mostra-me Senhor o que tem me distanciado da Sua Presença, do Seu toque, do Seu projeto. Perdoa meus pecados. Limpa-me, purifica-me, endireita minha vida. Restitui-me a alegria da salvação, a alegria em servir ao Senhor, a adorá-Lo, por inteiro. Em nome de Jesus. Amém!"



quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

"32 anos de casados - Bodas de Pinho"

         Amados, por mais que sejamos vitoriosos na nossa vida (profissional, política ou financeira), a melhor vitória é termos uma 'LAR-EIRA aconchegante', pra onde voltar e repousar, bem acompanhado. 

         Pensei nas Olimpíadas do meu casamento: 'Prata e pérola garantidas - rumo ao Ouro!'

          Hoje, Leomam eu, completamos 32 anos de casados - Bodas de Pinho
        Fiquei pensando, que estranho... por que pinho? 
O que podemos aprender com o pinheiro?
        Há sempre pérolas escondidas, em cada detalhe:
Como o pinheiro nosso casamento deve ser perene, inesgotável. Nas feridas da vida, como os pinheiros, podemos aprender a produzir resinas com poder medicinal, saindo unidos e mais fortes dos desertos:
"Quem é esta que sobe do deserto e
vem encostada ao seu amado?" (Ct 8.5).

        Assim como a beleza do pinheiro e o perfume de suas resinas são irresistíveis para quem convive, amigavelmente, em suas proximidades, como casal devemos exalar sempre a beleza e o bom perfume de Cristo (2 Co 2.15).
        Por outro lado, aprendo que, como os pinheiros dificultam o desenvolvimento de plantas daninhas em suas proximidades, devemos zelar com discernimento, evitando as raposinhas que, ao verem nossas vinhas floridas, buscam 'comer pelas beiradas', as nossas alegrias e a nossa comunhão (Ct 2.15).
      
        Para os celtas da Irlanda, o pinheiro representa a árvore do nascimento, do renovo e, para muitos povos, a árvore símbolo do Natal. Que o nosso casamento, amor e comunhão se renovem, dia a dia, assim como a nossa fé, a alegria da nossa salvação e a nossa esperança no Senhor:
"As muitas águas não poderiam apagar o amor, nem os rios, afogá-lo; ainda que alguém desse todos os bens de sua casa pelo amor, seria de todo desprezado" (Ct 8.7).

~~~~~~~~~~~~~~~~

 'Prata e pérola garantidas - rumo ao Ouro!'       
         Meses atrás ministrei aula na EBD sobre o tema: 'Os opostos se atraem'.
         Considerando a história de vida, a  'mala' familiar que trouxemos para o casamento, poderia dizer que Leomam e eu éramos opostos.
         Entretanto, ao preparar esta lição, fiquei agradavelmente surpresa: 'Sim, somos parecidos, muito parecidos no que é essencial'. Afinal, 'Porventura andarão dois juntos, se não estiverem de acordo?' (Amós 3:3)
         Continuo não gostando de futebol, de filmes sangrentos, de dormir tarde. Gosto mais de ler do que assistir tevê. Entretanto, no que é relevante: crença em Deus, vontade de serví-Lo, de agradá-Lo - ah, nisto somos muito parecidos! 

         E as diferenças? Elas  foram criadas por um Deus que é o Pai da diversidade. Não existem dois flocos de neve iguais... 
         No casamento, somos diferentes no sexo, na personalidade, no passado e isto pode direcionar nossas opiniões para sentidos opostos e, ao mesmo tempo, gerar uma grande atração em nós. No fundo, percebemos que, no íntimo, o outro tem virtudes que nós gostaríamos de ter, que nos complementam!

         Mas, no dia a dia, as pequenas diferenças podem importunar? Sim! Se dermos mais créditos a elas do que elas merecem. Se olharmos os pontos fracos do parceiro, no qual somos fortes, como conflito e não como motivação pra encontrar um equilíbrio saudável. 
         A diversidade é desafiadora e, ao mesmo tempo, traz colorido, amplia as nossas fronteiras.
         Há renúncia, muitas vezes? Sim! Entretanto, antes da incompatibilidade de gênios, tem que existir no nosso coração a disposição de se reconciliar sempre.
         O grande problema não está nas diferenças e sim na nossa atitude com relação a elas.
Muitas rupturas são decorrentes da estreiteza de visão, por exigências oriundas de meros "ponto de vista" e, como alguém já disse, "todo ponto de vista é uma vista (visão), vista de um ponto", ou seja, todo ponto de vista é questionável.

         Aprendo que com Deus na história, estas pequenas diferenças são reduzidas: 'Com Deus na história todo final é feliz' (Pr Magno)!
         A frase, muito usada, pelos reformadores cristãos no passado ajuda muito em nossos relacionamentos:  "No essencial, unidade; no não essencial, liberdade e acima de tudo, o amor".
         A compreensão do que é essencial e a busca por nortear a vida comum pelos princípios eternos, trarão ao casal um só pensamento, um só coração, um só caminho.
        
Na lição para EBD, consideramos: Como tratar as diferenças?
1. Praticar a graça que gera amor, apesar de... 
Amor, mais que um sentimento, uma atitude a ser aprendida.
'Apesar de você ser tão diferente de mim e, muitas vezes, incompreensível para mim, eu amo você!'
Graça que gera perdão, apesar de... 
"Segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor... nem haja alguma raiz de amargura que, brotando, vos perturbe, e, por meio dela, muitos sejam contaminados" (Hb 12.14-15)

2. Compromisso de estar juntos, sempre!  
Mesmo diante de uma cultura descartável que favorece e, até estimula, o divórcio.
Segundo Stephen Kanitz: Qdo você se casou, prometeu: Sou jovem, vou encontrar centenas de homens mais bonitos e mais inteligentes que você, Mas você pode ficar tranqüilo porque prometo amar você para sempre e abrir mão dessas oportunidades que surgirão”.
Compromisso de respeitar, valorizar as virtudes do outro, de cuidar do outro, em todo tempo. De tratar o meu companheiro de jornada como eu gostaria de ser tratada: como menina dos olhos de Deus.

3. Adaptação às diferenças, aceitando-as não como fraquezas, mas como características que podem me ensinar a ser uma pessoa melhor, mais maleável, mais agradável a Deus.
As diferenças podem trazer experiência, complementação, outra maneira de olhar e interpretar as circunstâncias da vida. 
Eu diria que os opostos se atraem, mas os DISPOSTOS perseveram, chegam ao prata, ao pérola, ao ouro e, quiçá, ao diamante.
Uma olimpíada, disputada a dois. Com grandes, inusitados e imprevisíveis desafios em desertos, em vales, em montanhas floridas; sob sol escaldante, chuviscos e tempestades...
          Importante crer que não é por acaso que estão juntos nesta. Sim, ninguém é peça sobressalente na sua história de vida. Deus é soberano e Ele tudo pode e nenhum dos Seus planos pode ser frustrado (Jó 42.2).

            Assim, devo honrar o meu cônjuge, valorizando suas virtudes e como alguém disse: 'No casamento pode haver perdas, renúncia, mas a alegria, a beleza, as realizações sobrepujam. 
          É como plantar uma árvore frente a janela. Você perde parte da paisagem, mas ganha sombra. Troca o silêncio pelo gorjeio da passarada ao amanhecer'. 
           É saber que cada detalhe de nossa história (cada alegria, dor - sentimentos e acontecimentos) é percebido, é valorizado, é testemunhado por alguém. É uma parceria, é um laço, é forte, é gostoso demais envelhecer junto, caminhando rumo ao ouro, ao diamante!
          É interessante observar ainda que, a convivência vai reduzindo as diferenças. Vamos pegando o jeito do outro...

            Que você seja um canal da benção de Deus na vida do seu cônjuge. Que interceda, que torça por ele de modo que as suas vitórias sejam suas também e que possam declarar que, juntos, combatem o bom combate, completam a carreira, guardam a fé e, no devido tempo, a conquista das Bodas de prata, de ouro, de diamante está garantida (2 Tm 4.7): a melhor e mais completa Olimpíada!



Que Deus os abençoe, sempre!