“... Sob a Tua Palavra lançarei as redes" (Lc 5.5b)


'O Teu caminho, ó Deus, é de santidade.

Que Deus é tão grande como o nosso Deus?

Tu és o Deus que opera maravilhas e, entre os povos, tens feito notório o teu poder" (Sl 77.13-14)


segunda-feira, 21 de março de 2011

Deserto: Vitrine do caráter

Ein Gedi: oásis localizado a Oeste do Mar Morto, próximo das cavernas de Qumran.  
Local de refúgio de Davi (1 Sm 24)

    Davi vivia momentos sombrios. O profeta Samuel, seu esteio, referencial de sua geração, morrera. Anos atrás, este profeta o havia ungido como rei de Israel. Somado a tristeza desta perda, Davi vivia como nômade, fugindo do Rei Saul que queria matá-lo.
Chegando ao deserto de Parã, região onde habitava Nabal, Davi fica sabendo que ele e sua tribo estão em festa. Tempos atrás, Davi tinha ajudado os servos de Nabal. Então, manda pedir ajuda e é desdenhado. Nabal era um homem rico, poderoso, porém, maligno e intratável. Davi fica ofendido e decide atacá-lo. Um servo de Nabal conta para a sua esposa, Abigail, os benefícios que Davi trouxera a eles e o perigo que todos corriam.
            Imediatamente, Abigail prepara pães, vinho, ovelhas, leva para Davi e seus homens e, com submissão e sabedoria, intercede pelo seu povo. Argumenta que Davi não deveria se vingar com suas próprias mãos e Davi, com humildade, reconhece que Abigail tinha razão e muda de idéia.
            Abigail volta para sua casa, conta tudo a Nabal, que fica amortecido. Ferido por Deus, ao cabo de dez dias, Nabal morre. Finalmente, Abigail se casa com Davi.  
            O que esta fascinante história nos ensina?

1.     As circunstâncias em que eu vivo não podem ter o poder de azedar a minha história.
Davi, herdeiro de uma promessa, sofre num deserto, mas não perde a fé, os valores 
de Deus. Abigail num lar tenso, com marido ganancioso, violento, não perde sua esperança, sua meiguice. Nabal, rico, poderoso, vencedor aos olhos do mundo nos ensina como não devemos nos relacionar. Você tem convivido, sofrido nas mãos de algum Nabal?
            Existem duas opções. Cultivar o ranço, o azedume de uma história infeliz ou decidir ser feliz, não perder a ternura nem a fé num Deus que muda as circunstâncias, num Deus que transforma Nabais em Davis, espinheiros em videiras frutíferas, amargura em doçura.
            Davi errou em esperar alguma coisa de Nabal, homem reconhecido pela sua insensibilidade, futilidade. Não devemos esperar nada de pessoas assim. Precisamos colocar os nossos olhos, nossa esperança em Deus somente. Em quem ou no que você tem colocado sua confiança?

2.     Para que mudanças aconteçam em minha vida, tenho que me dispor a mudar, a pagar o preço.
Abigail saiu de sua comodidade, enfrentou o sol ardente do deserto indo se encontrar com desconhecidos. Ela vai, não manda empregados. E vai a toda pressa. O que tem que ser feito, deve ser feito sem demora. O esforço despendido será o mesmo, entretanto, o resultado ficará garantido e a tranqüilidade de missão cumprida é impagável.
Corajosa, Abigail admoesta Davi: Não estrague sua vida, não manche sua história. Deus te fará casa firme, você será o príncipe sobre Israel (v.28, 30).
Será que a nossa família, nossos amigos, nosso povo não estão precisando que saiamos de nossa indiferença, conforto e tomemos posição? Será que não precisamos pagar o preço para que o nosso lar, os locais onde convivemos sejam transformados? Temos colocado nossos joelhos no chão em prol dos nossos amados?
Muitos responsabilizam os outros pela sua própria falta de atitude, de renúncias. Tudo tem um preço que envolve fé, visão, planejamento, compromisso, trabalho árduo. Sonhar sem alvos, sem estratégias, sem se dispor a ir à luta é fantasiar, se iludir.
Quais são as minhas limitações? Como fazer para superá-las? Não para ser melhor que o outro e sim para ser melhor amanhã do que sou hoje?   
Como as mudanças acontecem? Com esforço, trabalho, sem cruzar os braços. Como alcançar melhorias na vida profissional? Fazendo cursos, se envolvendo, se dispondo. Como obter melhorias na vida familiar? Investindo tempo, perdoando, cumprindo promessas. Não pare de lutar pelo seu lar, pela sua vida. Pague o preço.

3.     Para que algo extraordinário aconteça em minha vida, tenho que escolher adequadamente as sementes que planto.
Deus nos dá acesso ao Seu Espírito Santo e ao seu fruto. Quando semeamos de Sua Sementeira: mansidão, domínio próprio, paciência, fidelidade, bons pensamentos e atitudes, teremos um pomar abundante destes frutos e uma vida de paz, amor, alegria.
Abigail nos ensina a sermos acessíveis. Ninguém conseguia conversar com Nabal. Ela, no entanto, tinha os ouvidos atentos ao seu povo.
Abigail nos ensina a não sermos precipitados. Quando chegou em casa, após o seu encontro com Davi, Nabal estava embriagado. Com prudência, ela esperou o dia amanhecer para conversar com seu marido.
Todos tiveram sua oportunidade. Nabal não usou a sua. Davi ouviu os conselhos de 
Abigail. No final da história, cada um colheu o fruto da semente que plantou. Nabal semeou discórdia, avareza e colheu a morte. Abigail casou-se com Davi, o maior rei que Israel conheceu, um homem segundo o coração de Deus e teve um filho com ele.
            Deus das oportunidades, que nos ajuda a virar a página de nossa história e prosseguir.
            Quais oportunidades que Deus está dando pra você no dia de hoje? Pague o preço, regue, adube, tire as ervas daninhas sempre cultivando a nobreza, a excelência do padrão de Deus. Mesmo que os lucros não sejam imediatos ou compreensíveis pelo mundo, você sabe, você tem a visão do seu sonho, do seu alvo e, além disso, a paz que resulta de estar dentro da vontade do Pai é extraordinária, não há ouro no mundo que pague.

4. Para que algo extraordinário aconteça em minha vida, tenho que entender que eu sou o único responsável por isso.
            Há jovens que dizem que sua alegria virá quando se casarem. Outros, quando se
formarem ou tiverem um bom emprego. Depositar em bens ou nos outros a nossa alegria, a nossa realização é arriscado, é se tornar refém. Posso decidir ser feliz aqui e agora, com o que sou e possuo. Ser feliz é uma decisão. É valorizar o que disponho e usá-lo como matéria prima para algo novo.
Davi, no deserto, perseguido, carente em suas necessidades básicas, com medo, nos legou os maiores hinos de gratidão e louvor a Deus. Deus é fiel e o sustentou. Abigail, convivendo com um homem intolerável e intolerante manteve a dignidade. E você? O que o deserto tem revelado sobre o seu caráter?
Podemos e devemos aprender a ser felizes mesmo no meio do caos, da sequidão.  Davi, catedrático na arte de viver no deserto, nos convida a aquietarmos o coração e a confiarmos somente em Deus. A musculatura da fé de Davi foi exercitada e desenvolvida com o clamor, desabafo, fé e louvor ao Deus Altíssimo. Este Deus, que é vivo, que ouviu Davi, é o mesmo e o será eternamente. Fez de um homem fugitivo, faminto e sedento um grande rei e poderá fazer de você e de mim alguém livre, digno e abençoado. Amém e amém!

Louvado seja Deus!        

Um comentário:

A Bíblia Fala disse...

Começar um blog ou qualquer outra atividade é difícil e desafiante, como você bem colocou em seu relato acima, mas, como os índios disseram, perseverar é essencial para que os resultados surjam. Deus continue te abençoando.