“... Sob a Tua Palavra lançarei as redes" (Lc 5.5b)


'O Teu caminho, ó Deus, é de santidade.

Que Deus é tão grande como o nosso Deus?

Tu és o Deus que opera maravilhas e, entre os povos, tens feito notório o teu poder" (Sl 77.13-14)


sábado, 23 de maio de 2015

'O berro da ovelha e a revolução dos bichos'

            Tenho me lembrado freqüentemente do livro ‘A Revolução dos Bichos’, publicado pelo escritor inglês George Orwell, em 1945, como uma sátira ao regime comunista da época. 
         É considerado um dos cem melhores livros da língua inglesa pela revista norte americana ‘Times'.
            O livro conta a história de Major, um velho porco, morador da fazenda do Sr. Jones, que sonha com uma revolução contra a opressão e os maus tratos que os animais sofriam da parte dos humanos.
            Dias antes de falecer, Major revela seu sonho a todos os bichos. Dois porcos, Bola-de-Neve e Napoleão, decidem lutar por um novo regime onde imperaria justiça e igualdade.
            Com entusiasmo, todos os animais partem pra luta, cada um com suas habilidades e características representando, curiosamente, as diferentes nuances do caráter humano.
            Estabelecem os sete Mandamentos que regeriam esta nova sociedade:
1. Qualquer coisa que ande sobre duas pernas é inimigo.
2. Qualquer coisa que ande sobre quatro pernas, ou tenha asas, é amigo.
3. Nenhum animal usará roupa.
4. Nenhum animal dormirá em cama.
5. Nenhum animal beberá álcool.
6. Nenhum animal matará outro animal.
7. Todos os animais são iguais. 

            Entretanto, a sede do poder perturba Napoleão que expulsa Bola-de-Neve e o acusa, injustamente, de traidor. Bola-de-Neve desaparece após ser perseguido pelos cães criados e doutrinados por Napoleão.
            Napoleão estabelece uma ditadura corrupta e passa a negociar com os humanos, a morar na antiga casa do Sr. Jones, a beber e a andar sobre duas patas.
            Para se adequar, novos mandamentos são impostos, tais como: ‘Nenhum animal beberá álcool em excesso; nenhum animal matará outro animal sem motivo’ e, finalmente: ‘Todos os animais são iguais, mas alguns animais são mais iguais que os outros’.
            Os bichos são submetidos a uma escravidão muito pior que a anterior. Trabalhavam mais, recebiam menores porções de rações e eram submetidos a um regime de intolerância geral a quaisquer níveis de rebeldia ou contestação. Poucos se lembravam, ainda que vagamente, da época do Sr. Jones.
            Finalmente, há uma reunião barulhenta e festiva na casa principal entre os porcos mais proeminentes e os agricultores vizinhos.
            Os animais mais corajosos, curiosos, atrevem-se a espiar pela janela, observam os discursos sendo feitos, os jogos de baralho e consideram que já não se podia identificar quem era porco e quem era homem...
Leitura interessante e agradável, vale a pena: ler: http://www.ebooksbrasil.org/adobeebook/animaisf.pdf

~~~~~~~~~~~~~~~~ 
        Momentos difíceis... onde vemos corruptos e corrompidos sendo protegidos e valores morais desconsiderados.
      Quando presenciamos, muitas vezes inertes, nova linguagem de vida sendo transmitida para as novas gerações: individualismo, superstições, oficialização da imoralidade e beneficiamento de bandidos de colarinho branco.  
      Vozes que se escancararam no passado contra a repressão, hoje, convenientemente se tornaram CONIVENTES, emudeceram num corporativismo deplorável. 

         Quanta decepção!
        Assisto perplexa os desmandos do nosso país e ouso sonhar e clamar a Deus, Senhor dos impossíveis, por mudanças!

         Menção honrosa para pessoas como o ex-ministro Joaquim Barbosa, Juiz Sérgio Moro e a todos, homens e mulheres que não se renderam; que, com ousadia lutaram e tem lutado, sem esmorecer, mesmo diante de ameaças, para que a justiça seja feita!           Ficarão para a história com um memorial apreciado e aplaudido pelas futuras gerações.
        Aos reféns, aos que se renderam, aos covardes... nosso profundo pesar e lamento. Oxalá se envergonhem do triste legado, desonrosa memória que estão deixando para os seus descendentes:
"A memória do justo é abençoada, 
mas o nome dos perversos cai em podridão" (Provérbios 10.7)

         Vamos em frente! Vamos honrar e interceder, junto a Deus, pelos dirigentes e autoridades constituídas de nossa nação para que reflitam e que coisas novas aconteçam (Romanos 13.1-7).


'Há esperança para o teu futuro, diz o Senhor!'



        Como o Rev. Hernandes Dias Lopes (O Brasil, o país dos contrastes) anseio ver:
 'um Brasil onde a classe política sirva o povo em vez de servir-se dele; 
um país onde os tributos sejam destinados ao bem do povo e ao progresso da nação em vez de servir para locupletar os avarentos inescrupulosos; 
um país onde a ordem e o progresso não sejam apenas distintivos do nosso pavilhão nacional, mas um ideal defendido por todos os brasileiros'.
                
POLÍTICA (Hernandes Dias Lopes)
                É grande, profunda e crônica a decepção com os políticos. Uma onda de descrédito com os políticos varre a nação. A maioria dos políticos se capitulam a um esquema de corrupção, de vantagens fáceis, de fisiologismo, nepotismo, enriquecimento ilícito, drenando as riquezas da nação, assaltando os cofres públicos e deixando um rombo criminoso nas verbas destinadas a atender às necessidades sociais.
'Nunca nos esqueçamos de que a
Bíblia nos ensina a interceder,
honrar e obedecer as autoridades constituídas' (Rm 13.1-7).

~~~~~~~~~~~~~~
Então, vamos em frente...
'Há esperança para o teu futuro, diz o Senhor!' Sim, eu creio!
Que tal começarmos, agora, um clamor pelos governantes e pelas próximas eleições, em 2018?

Leia mais em "Corando de vergonha em 3 tempos": 
http://destilardosfavos.blogspot.com.br/search?q=corando+de+vergonha

Nenhum comentário: