“... Sob a Tua Palavra lançarei as redes" (Lc 5.5b)


'O Teu caminho, ó Deus, é de santidade.

Que Deus é tão grande como o nosso Deus?

Tu és o Deus que opera maravilhas e, entre os povos, tens feito notório o teu poder" (Sl 77.13-14)


segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

'Sua biografia é publicável?'

Gosto muito de ler biografias. Entretanto, é lastimável precisar ‘ler nas entrelinhas’.
Um grande número de biografias maquia fatos importantes ou encobre verdades que mudam todo o contexto.
A realidade é que os biógrafos ‘pisam em ovos’ pra não serem censurados pelos protagonistas ou familiares e terem seus livros retidos.
Outros por partidarismo ou, até mesmo, em proveito próprio, evitam desfazer mitos de estadistas e celebridades e, em seus trabalhos, fomentam opiniões pré-fabricadas.
Nos últimos meses, a mídia tem se ocupado em divulgar a resistência de alguns artistas, alguns deles expoentes opositores na época militar, que se recusam a expor detalhes de suas vidas. Valentes pra apresentarem (em verso e prosa) pormenores desabonadores de outros e covardes pra serem transparentes com relação a sua própria história. A pergunta que não quer se calar: 'Do que eles tem medo? O que perturba sua consciência?'

Sou grata a Deus porque não permitiu que ocultassem os desatinos dos seus profetas, líderes e reis. A Bíblia relata que Abraão, Moisés, Davi e tantos outros tiveram suas limitações, medos, pecados que foram divulgados publicamente. Os que pecaram e voltaram atrás foram tratados, perdoados mostrando o calibre da misericórdia e do amor de Deus.
Longe de perder a credibilidade o modo com que lidaram com a sua iniquidade evidenciou o que ia no seu interior, como estava o seu relacionamento com Deus.

Estes homens, com suas atitudes, erros e acertos tem ensinado a todas as gerações vindouras que Deus é compassivo com o pecador, mas não tolera o pecado. Deus espera arrependimento demonstrado por quebrantamento e transformação seja de sentimentos, atitudes ou palavras.
Pelos olhos humanos que rotulam e dimensionam os pecados, pensamos que Davi errou mais que Saul. Adulterou com Bete-Seba (2 Sm 11.1-5), arquitetou a morte de Urias (2 Sm 11.6-25), foi um pai relapso (2 Sm 13 e 14; 1 Rs 1.6).
Entretanto, o que interessa é que a sua atitude ao se defrontar com o seu pecado foi a de um homem prostrado, buscando o perdão e transformação no colo do Pai.
O distanciamento de Deus, a dor pelo pecado era tão grande que Davi confessava que gemia de dia e de noite, sentia angústia, fraqueza, os ossos envelhecendo, esmagados. Davi assumia com humildade e choro, publicamente, seu pecado. Clamava o perdão de Deus, a Sua instrução, o Seu conselho. 
Davi declarava que o que realmente importava era a opinião de Deus sobre sua vida e não a do povo que comandava, a Presença de Deus e não de milhares de súditos e candidatas a princesas (Salmos 32 e 51; 42.1). 

Por sua vez, o Rei Saul preocupava-se com o que os outros pensavam dele, queria a honra de homens, mesmo que fajuta (1 Sm 15.30). Como muitos, Saul não assumia seus erros, suas lutas internas. Pelo contrário, desculpava-se ou colocava a culpa em outro (1Sm 15.19-21).
Resultado? O Rei Saul foi rejeitado por Deus (1 Sm 15.26) e Davi foi considerado um homem segundo o coração de Deus (1 Sm 17.18-21).

Estamos vivendo um momento preocupante em que a charlatanice, as falsas informações tem se alastrado em todos os âmbitos (religiosos, políticos, artísticos) e, muitas vezes, ficamos confusos com relação ao que realmente é válido.
 "Eis que eu vos envio como ovelhas para o meio de lobos; sede, portanto, prudentes como as serpentes e símplices como as pombas" (Mt 10.16)
E nós? Com relação a nossa vida, o que temos valorizado? 
O que Deus pensa de nós? Temos uma vida que pode ser considerado um livro aberto, aprovado por Deus? 
Quando evitamos o passado representamos o coxo que mantém o peso fora da perna machucada. A dor, o problema continuam. Todos tem necessidade de rever o passado, voltar o coração a Deus e ser tratado, curado. 
Você quer ser curado?
Em sua história de vida, existem porões escuros que tem evitado adentrar? Será que ficaria tranquilo se a sua biografia fosse escrita, sem omissões? 
Aprendo que posso ter uma biografia publicável pela minha reação ao pecado, pela minha disposição de reconhecer a iniquidade, pedir perdão e me dispor a mudar, a acertar, de ser melhor hoje do que fui ontem. 
É enfrentar o passado com coragem. Ou tiramos as máscaras ou elas nos tiram. É só uma questão de tempo! Certa feita meditei a este respeito e convido a você fazê-lo também: http://destilardosfavos.blogspot.com.br/2013/02/ou-voce-tira-as-mascaras-ou-as-mascaras.html

O que Deus pensa de você? 
Philip Yancey (2002) considerou que Deus parece alternar a postura de espectador e de participante: O que Deus tem visto na sua e na minha vida?
Será que é o momento de pedir perdão, decidir mudar de vida, de atitudes? Liberar perdão, rever relacionamentos, projetos?
* 
"O maior amor que alguém poderia imaginar que venceu a cruz e a sepultura, para encontrar a minha alma" (Tradução do desenho da minha filha Deborah). ALELUIA!!!


'Obrigada Senhor pelo Seu tão grande amor. Ajuda-me a deixar as máscaras, a sair da caverna e buscar ao Seu lado uma vida transparente, verdadeira, que traga, no futuro, lembranças agradáveis e um sorriso pelas boas realizações. Ensina-me, dia a dia, a envelhecer sem porões, sem cantos escuros e escondidos de modo que minha biografia não traga vergonha ao meu coração e aos dos meus descendentes, com a certeza de que meus pecados foram confessados e perdoados na cruz, em Cristo Jesus. ALELUIA!'.

* YANCEY, P. Encontrando Deus nos lugares mais inesperados. Editora United Press Ltda, 
           2002, 260 p.

Um comentário:

Josiel Dias disse...

Olá Graça e Paz.

Parabéns pelo belo trabalho neste seu site.
Já tornei-me vosso seguidor. Aproveitamos a oportunidade
Para compartilhar também com vocês o nosso blog.
Fiacremos felizes por vossa visita e mais ainda se seguir-nos.

Atenciosamente

Josiel Dias
Mensagem Edificante para Alma
josiel-dias.blogspot.com
Rio de Janeiro
Brazil