“... Sob a Tua Palavra lançarei as redes" (Lc 5.5b)


'O Teu caminho, ó Deus, é de santidade.

Que Deus é tão grande como o nosso Deus?

Tu és o Deus que opera maravilhas e, entre os povos, tens feito notório o teu poder" (Sl 77.13-14)


terça-feira, 18 de setembro de 2012

'Edificando uma grande obra!'

"Edificando uma grande obra!
       Neemias (por volta de 400 a.C) desfrutava de uma vida confortável. Era copeiro do Rei Artaxerxes, na cidade de Susã, na Babilônia. Entretanto, Neemias era um homem que se importava.
Neemias orava, jejuava, lamentava a miséria e a vergonha de pessoas desconhecidas, que viviam distantes (1.600 km), em Jerusalém, mas que pertenciam ao seu povo, povo de Deus.
       Com o aval e ajuda do rei, Neemias viaja até Jerusalém onde anima o povo a fortalecer suas mãos, a se ajudarem mutuamente para a reedificação das muralhas. Teriam êxito porque a boa mão de Deus estava com eles. 
       Podiam se alegrar no Senhor e desta alegria viria a força que precisavam para concretização desta grandiosa obra (Ne 8.10).

O trabalho é intenso e a obra prospera, já não há brechas em suas muralhas. Entretanto, os inimigos tentam intimidá-lo, desviá-lo do projeto. Sambalate e Gesém pedem que Neemias vá ao seu encontro. 
       Neemias se posiciona com firmeza. Envia mensagem informando que não pararia a obra para encontrá-los e que o que fazia não era uma obra qualquer e sim uma grande obra (Nee 6.3).

       O que Neemias nos ensina?
1. Queremos edificar uma grande obra? Vamos investir nossos esforços. Vamos marchar!
“Por que clamas a mim?
Dize aos filhos de Israel que marchem" (Ex 14.15)
Etimologicamente (do latim) a palavra negócio significa negação do ócio, da preguiça.
       Neemias abandonou sua tranqüilidade e se dispôs a perigos, contrariedades, ameaças para que as muralhas de Jerusalém fossem erguidas. Neemias construiu uma nova história, deixou um legado reconhecido até hoje.

       Golda Meir (1898 – 1978) foi uma fundadora do Estado de Israel. Durante a Guerra do Yom Kippur, contra o Egito e a Síria, sua firmeza foi decisória. De origem humilde não titubeou, aceitando enfrentar muitos desafios em prol de Israel. Em 1969, com 71 anos tornou-se primeira-ministra de Israel. Não consentia decisões que pudessem prejudicar o seu país, mesmo vindo da ONU e, nem atentados terroristas.

Charlie Jones disse: “Muita gente espera que seu barco chegue, embora não o enviaram para lado nenhum”.

Não há idade, aposentadoria, comodidade ou coadjuvante no serviço do Senhor. Só há protagonistas, guerreiros, pessoas que vestem a camisa, que marcham.

2. Queremos edificar uma grande obra? Vamos trabalhar, perseverar mesmo diante de oposições!

       George Bernard Shaw (1856 – 1950), de origem pobre, tornou-se escritor e, durante mais de dez de anos, tudo que escrevia (livros, artigos) era recusado pelos editores londrinos. Finalmente, foi reconhecido ao ponto de ganhar o Prêmio Nobel de Literatura, em 1925. Honraria concedida ao produtor do mais magnífico trabalho literário.
Muitas vezes, em nossa vida, inimigos se interpõem querendo atrapalhar nossos objetivos.
Vamos fechar as brechas, com disposição e fé em Deus, para que os adversários não nos confundam ou desanimem.

3. Queremos edificar uma grande obra? Vamos reagir, perseverando sempre sob a orientação de Deus!

       Conta-se que um cocheiro, no início do século passado, ficou muito emocionado ao ver um grande escritor entrar na sua carruagem. Começou a ir bem depressa. O escritor perguntou: - “Ei, você sabe pra onde está indo?” O cocheiro respondeu: - “Não sei, mas estou indo ligeiro”.

       Neemias queria reconstruir os muros de Jerusalém para trazer esperança, proteção e identidade para o seu povo.
Golda Meir almejava que Israel, sua nação, se desenvolvesse e fosse respeitada por todo mundo.
Shaw queria usar o seu talento de escritor para fazer diferença num mundo conturbado por diferenças sociais.

 E nós? Quais têm sido nossos objetivos? Para onde estamos indo?

Conta-se que um bezerro perdido saiu a procura de pasto. Atravessou caminhos, curvas, formou uma trilha que foi utilizada por muitos animais e que, finalmente, tornou-se uma estrada. Muitos não entendiam o motivo de tantas curvas que triplicava a distância até um povoado vizinho. Entretanto, todos, anos após anos, seguiam a trilha de um bezerro perdido.

       Você gosta da pessoa em que você se tornou?
Tem se adaptado a situações caóticas, medíocres como se fossem irreversíveis e nada tem feito para mudá-las?
A gente pode piorar? O duro é que pode!
Ouvi um testemunho de uma filha dizendo: - “Minha mãe não era assim! Era tão risonha e agora está triste, resmungona! Era tão cheia de esperança e agora anda tão pessimista!”
Hora de refletir sobre os caminhos que temos tomado, sobre a história que estamos edificando!
Hora de mudar para uma vida colorida e não mais em branco e preto.
Hora de iniciar ou prosseguir edificando a grande obra que Deus tem pra nossas vidas!

       Carl Marx disse que a igreja é o ópio do povo. Outros dizem que é a muleta dos fracos.
      Não é verdade! O verdadeiro cristão, como Neemias, é corajoso e ousado. Busca sempre em Deus a orientação para construir uma admirável história.
         
Meus irmãos, caminhemos ligeiros ou vagarosamente, mas sempre com objetivos, pra frente, sintonizados e guiados pelo GPS, Gloriosa Palavra do Senhor, tornando-nos, como Davi, protagonista da nossa geração. 

Teremos êxito porque a boa mão de Deus estará conosco!
Sempre alegres e fortalecidos 
porque a alegria do Senhor é a nossa força! (Nee 8.10)
Que Deus nos abençoe!

Nenhum comentário: