“... Sob a Tua Palavra lançarei as redes" (Lc 5.5b)


'O Teu caminho, ó Deus, é de santidade.

Que Deus é tão grande como o nosso Deus?

Tu és o Deus que opera maravilhas e, entre os povos, tens feito notório o teu poder" (Sl 77.13-14)


quarta-feira, 12 de julho de 2017

'Quem não ouve conselhos, ouve: coitado...'

       'Quem não ouve conselhos; ouve: coitado' (Rev. Hernandes D. Lopes)


         Conta-se que o comandante de um navio avistou uma luz em rota de colisão e pediu pra que o responsável alterasse seu curso 15 graus para o norte. A resposta foi: 'Nós recomendamos que os senhores mudem seu curso 15 graus para o sul'. O comandante ficou muito bravo e insistia aos berros que ele que mudasse e que isto fosse feito imediatamente. Até que ouviu:'É impossível, senhor, somos um farol e estamos num rochedo'
          
         Arrogância, rebeldia, quantos desastres tem causado... 
         Por conta dela, muitos permanecem a um leito de dor ou numa cadeia ou mesmo, num cemitério. Outros se afligem por um casamento infeliz ou divórcio que poderiam ter sido evitados, se ouvissem conselhos. 
         Há quem culpe a Deus por decisões erradas que tomaram, mesmo com sinalizações contrárias.
         Por falta de temor a Deus mofam numa vida sem significado.      
         Desperdiçam a vida...         
"... Pois eles não querem mudar de vida 
e não temem a Deus" (Sl 55.19b - NTLH)

         Parafraseando Saint-Exupéry: "Você se torna eternamente responsável por tudo aquilo que Deus alertou (por meio de Sua Palavra, de líderes, de circunstâncias e em sua própria consciência), e você ignorou"         

         Efraim foi o segundo filho de José do Egito (Gn 41.50-52). Recebeu este nome porque disse José: "Deus me fez próspero na terra da minha aflição". Um nome que falava de angústias transformadas em vitórias, pela intervenção de Deus.
         Efraim foi adotado como filho e como primogênito de José por Jacó, seu avô, para que tivesse os mesmos privilégios (Gn 48.5; 13-14, 20b). Assim, foi considerado o fundador de uma das 12 tribos de Israel: Tribo de Efraim.
Esta tribo ocupava o centro de Canaã, sendo chamada posteriormente de Samaria. Por se tratar de uma região montanhosa e extremamente fértil, Efraim tornou-se uma tribo dominante e temida.
Rio Jordão - 2010
         Este homem, portador de uma herança tão nobre, passou por lutas difíceis e por muita dor. Conta a Bíblia que dois dos filhos de Efraim foram mortos pelos homens de Gate, como 'ladrão de gado' (1 Cr 7.20-29). Acredita-se que José tenha visto seus netos serem mortos nesta situação tão humilhante e vergonhosa (Gn 50.23).
         As coisas iam mal pra Efraim. Chorou muito pelos seus filhos e foi consolado pela sua família (1 Cr 7.22-23).
          

        Assim como Efraim, muitos servos do Senhor tem chorado amargamente decisões de seus filhos. Alguns, afundados pelas drogas, prostituição, distanciamento de Deus. Efraim perdeu dois filhos de modo vergonhoso, mas nem tudo na sua história foi derrota.  Anos mais tarde, um de seus filhos, Berias, afugentou os moradores de Gate (1 Cr 8.13) e uma de suas filhas tornou-se empresária de sucesso, construtora de cidades (1 Cr 7.24). 
         Efraim foi ancestral de Josué, servo obediente a Deus, o grande líder na conquista de Canaã, fato que mudou a vida de todo povo de Israel. 
         Após a morte do Rei Salomão e da divisão do reino, um descendente de Efraim, Jeroboão, tornou-se o primeiro Rei de Israel (1 Reis 11.26). Reinou 22 anos. Entretanto, Jeroboão não aproveitou tamanho privilégio e sacrificou a ídolos.
         Assim, prossegue a vida, com vitórias e derrotas, resultantes das nossas escolhas pessoais. 

          Certo pastor disse que Deus perdoa os que atropelam a justiça, os que mentem, os que traem, desde que hava arrependimento e pedido de perdão a Ele (1 João 1.9). Entretanto, Deus não perdoa o pecado da rebelião. 
"Abominável é ao Senhor todo arrogante de coração; 
é evidente que não ficará impune" (Pv 16.5).


          Que possamos ser verdadeiros adoradores e reconhecer que nada somos e sem Deus nada podemos fazer. Que busquemos, no dia a dia, desenvolver e praticar o fruto do Espírito Santo: o amor e a paciência que tolera, que não critica, que não exige desempenho; a paz com todos, os bons pensamentos e atitudes, a mansidão, o domínio prório.
          Na Antiguidade quando um general romano voltava de uma guerra, entrava em Roma numa biga, se dirigindo ao Senado, onde ia ser aclamado. Um escravo acompanhava a biga a pé e, a cada quinhentas jardas, subia na biga e soprava no ouvido do general: "Lembra-te que és mortal".
         Que estejamos sempre dispostos a ouvir conselhos, a filtrá-los pela Palavra de Deus, mudando com humildade nosso proceder quando necessário, sempre lembrando que: 'somos mortais'!

'Deus, livre-me do pecado da rebeldia, da obstinação, da arrogância. Dê-me, em Cristo Jesus um espírito manso e humilde e cria em mim um coração puro e inabalável, sempre disposto a serví-Lo e a adorá-Lo, em todo tempo. Que toda honra, toda glória, todo louvor eu devote somente ao Senhor, meu Deus e Pai, Único merecedor!'

Um comentário:

Mariana Peres Alves disse...

Que linda meditação! tão verdade, penso que muitas das vezes falta bons aconselhadores, por que não ouvir um bom conselho é tão triste como ser mal aconselhado. Que seu ministério continue assim, a frutificar e a florescer no reino do Senhor!