“... Sob a Tua Palavra lançarei as redes" (Lc 5.5b)


'O Teu caminho, ó Deus, é de santidade.

Que Deus é tão grande como o nosso Deus?

Tu és o Deus que opera maravilhas e, entre os povos, tens feito notório o teu poder" (Sl 77.13-14)


terça-feira, 22 de julho de 2014

'O invisível se revela'

"...Respondeu Jesus: Não me conheceis a mim nem a meu Pai; 
se conhecêsseis a mim, também conheceríeis a meu Pai" (Jo 8.19)

Jesus Cristo, dialogando com os fariseus, fala sobre conhecer o Pai
O que é conhecer o Pai? Mais que uma convicção intelectual, é reconhecer a Sua Presença em nossa vida, é enxergá-Lo no colorido extraordinário que não se repete, em cada pôr-do-sol; no brilho impressionante de uma borboleta; no requinte da uma orquídea; no 'glamour' de um gato; no cantar de um pássaro, no amor que contagia. 


É ouvi-Lo nos animando, estimulando a nossa caminhada. É desfrutar de Suas surpresas, dos Seus milagres.


Dá pra ver o Pai? Sim, eu O vejo! Quando olho a natureza, vestida de majestade e de glória, penso no Seu autor e fico maravilhada. 
Quando reflito na complexidade incompreensível de cada ser que nele habita, nas células 'fervendo' de atividades coordenadas, se interagindo com todo organismo, fico fascinada. 
É Deus Criador e Sustentador se manifestando com todo o Seu poder.  Deus que domina sobre toda a terra, sonhada e modelada por Ele e a segura no espaço. Deus, que quebrou o orgulho das ondas do mar estabelecendo seus limites, que sabe o caminho para a morada da luz e traçou a passagem dos relâmpagos.
Deus que provê alimento, que faz os pássaros voarem e cuida das corças quando dão suas crias (Jó 38-40). 
Sim, pela fé, eu O vejo!!!



Dá pra ouvir o Pai? Sim, eu O ouço! Eu O ouço nas profundezas do meu coração quando O busco, em Espírito e em verdade; quando leio a Sua Palavra. 
Deus de misericórdia que me admoesta, anima, traz a paz do perdão ao meu coração. 
Deus que trata, responde dúvidas, aquieta, traz esperança por meio de Suas promessas, dos Seus feitos no passado. 
Sim, pela fé, eu O ouço!!!

Dá pra sentir o Pai? Sim, eu O sinto! Nas 'coincidências', nos milagres, na concretização dos impossíveis, no amor, no perdão. Na tranquilidade que invade o meu coração diante das inquietudes e desafios, certa de Sua soberania. 
Sim, pela fé, eu O sinto!!!
E penso: 'Ah, se não fosse o Senhor'!!!

Conhecer o Pai é mais que uma compreensão lógica. É abrir os olhos da fé, do reconhecimento do quanto somos pequenos e o quanto Ele é grande, tão grande que a nossa pequenez não consegue avaliar! 
É encontrá-Lo na beleza, na diversidade, no colorido, no aroma, no sabor de Sua criação.
É perceber o quanto Ele luta por nós, revelando o arco-íris após a tempestade. Deus sempre Presente e nunca indiferente às nossas necessidades.
É reconhecer o Seu agir em cada realização, no nosso respirar, nas funções do nosso corpo, na nobreza do perdão e do amor que nos invade e move nossos corações. Deus que nos surpreende com grandes milagres.

É verdade, quando cremos em Deus, grandes milagres acontecem!
Você já desfrutou de algum? Use-o como halterofilismo pra fortalecer sua fé e conte aos outros para que todos saibam, vejam, considerem e juntamente entendam que a boa mão do Senhor fez isto (Is 41.20).

Pensei em compartilhar um milagre que minha família desfrutou. Mas qual eu deveria contar? Foram tantos e tão significativos!!! Curas, portas fechadas para que abríssemos nossos olhos para um novo caminho, sobremodo excelente; aprovação em concursos, vestibulares, proteção, provisão, encontros e desencontros que impediram atalhos perigosos, traiçoeiros... 
Tantos milagres...
Demonstração inquestionável do Seu amor de Pai que nos considera particular tesouro (Ml 3.17a), a menina dos Seus olhos (Zc 2.8).

Entretanto, decidi ressaltar o maior de todos os milagres: a Salvação, em Cristo Jesus!!! ALELUIA!!! 
O melhor prodígio que já aconteceu em nossa história e que permitirá que moremos com o Pai, na eternidade. 
Louvado seja Deus, nosso Pai de misericórdia e insondável amor!


"Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o Seu Filho Unigênito, para que todo o que n'Ele crê não pereça, mas tenha a vida eterna" (Jo 3.16)

Você tem esta certeza? Se não tem ainda compreensão de onde estará na eternidade, este é o momento. Entregue-se, sem reservas, nas mãos do nosso Deus. Faça um compromisso de orar e ler Sua Palavra, diariamente; frequentar uma igreja que use a Bíblia como regra de fé e prática e lhe dê oportunidade de exercitar o dom que Deus o presentear, pra Sua honra e glória somente. 


Você está convidado a iniciar uma nova história, fazendo sua esta oração:

"Meu Deus, o Senhor conhece o meu coração, minhas lutas, minha insegurança, meus pecados. Sim, eu reconheço que sou pecador, que tenho pecado contra o Senhor em pensamentos, sentimentos, palavras e atitudes. Reconheço que necessito do Seu perdão. 
Peço que o sangue de Jesus Cristo, Seu filho, me lave, me purifique de todo pecado. Declaro ainda que renuncio a todo pacto, toda aliança estranha que fiz no passado, consciente ou inconscientemente, e me rendo ao Senhor, somente ao Senhor, Criador de todas as coisas. 
Peço que me perdoe, me restaure, me renove e faça de mim uma nova criatura, alguém que O ame, O adore, O busque em todo tempo. Aumenta minha fé e fala, com o Seu Santo Espírito ao meu coração, convertendo a minha caminhada, ensinando-me a obedecer à Sua vontade, que é boa, perfeita e agradável. Em nome de Jesus Cristo, meu Salvador, Redentor meu, amém!" *
MARANATA, ora vem Senhor Jesus: o Alfa e o Ômega, 
o Primeiro e o Último, o Princípio e o Fim (Ap 22.13)!!!

* Caso você tenha feito esta oração e queira conhecer mais desta preciosa verdade, coloco-me a sua disposição. Escreva, nos comentários, o seu e-mail que não será exposto ao público. Estarei passando, particularmente, o meu e-mail pra você e, então, poderemos conversar. Deus o abençoe!


terça-feira, 15 de julho de 2014

'Pérolas: feridas curadas'

‘Das aflições, pérolas’ Aprendendo com as ostras (Pinctada imbricata)
Texto Bíblico: “Não torneis a ninguém mal por mal; esforçai-vos por fazer o bem perante todos os homens; se possível, quanto depender de vós, tende paz com todos os homens... se o teu inimigo tiver fome, dá-lhe de comer... Não te deixes vencer do mal, mas vence o mal com o bem”  (Romanos 12.17-21).   


A ostra, para se alimentar, filtra o plâncton da água, abrindo suas conchas. Neste processo, pode ser invadida (entre o seu manto e a concha) por um corpo estranho, parasita ou grão de areia. Entãoalgo extraordinário pode acontecer. Como medida de proteção, este intruso é envolvido por camadas concêntricas de nácar ou madrepérola que vão se cristalizando e, no final, resulta numa linda pérola. A ostra transforma a causa de sua irritação numa requisitada e preciosa jóia. De algo pequeno, um instrumento de tortura, surge algo encantador.
http://www.theguardian.com/lifeandstyle/2008/nov/05/
geoff-moule-pearly-oyster-dorset
Que linda lição. É como o dito popular: ‘Transforme um limão numa limonada’. Faça daquilo que lhe aborrece algo interessante.

Aprendemos que o desafio é não se deixar intimidar pelas invasões. É não considerar os imprevistos como algo perturbador, mas sim usá-los, com generosidade, como matéria prima pra algo novo que, sob a intervenção de Deus, pode se tornar formidável.

Isaque (2000 a.C), filho de Abraão, praticou este conceito. Morador de regiões desérticas onde encontrar água é essencial para a sobrevivência, Isaque cavava poços e tudo que fazia prosperava, porque Deus era com ele. Entretanto, Isaque era tenazmente perseguido por homens invejosos que entulhavam os seus poços. Então, com grande paciência e mansidão, deslocava-se com toda sua família, cavando novos poços. Poderia se queixar, murmurar, confrontar, mas demonstrava um espírito manso, confiante na provisão de Deus. 
Tinha convicção de que a benção estava com ele e não com o local. Por onde andava, Deus o honrava. Até que um dia, cavou um poço e como não houve contendas, chamou-lhe de Reobote, que significa lugares amplos. Cremos que as contendas foram permitidas por Deus como instrumento para levá-lo para Berseba, para um novo e livre lugar, onde se encontraria com Deus e seria abençoado (Gênesis 26).

Da mesma forma, quando pagamos o mal com o bem, o mal se torna uma pérola preciosa que enriquece o nosso interior.
Parece empecilho, mas pode ser o caminho para o extraordinário de Deus, para a prosperidade, para o nosso Reobote, onde presenciaremos, ao vivo e a cores, o milagre do Pai. Pode trazer irritação, frustração, mas pode ser a providência do nosso Deus, Todo Poderoso, para que nossas fronteiras se ampliem. Louvado seja o nosso Deus que transforma feridas em pérolas. 

Pérolas: feridas curadas! A cura das aflições depende de como enfrentamos as adversidades. Pessoas que pagam o mal com o bem, abençoam os que entulham seus poços e refreiam a língua do mal produzem grande quantidade de pérolas, são valiosos. Fazem grande diferença neste mundo.
http://en.wikipedia.org/wiki/Cultured_pearl
Quando permitimos que Deus cure nossas feridas, aprendemos tolerância, humildade, nos adaptamos melhor às mudanças e somos de preciosa ajuda aos que sofrem. Ficamos ainda disponíveis para que a benção de Deus repouse sobre nós trazendo, além de Sua Presença inefável, prosperidade, amor, paz e significado para a nossa existência.
"Aqueles que mergulham no mar das aflições 
trazem pérolas raras para cima" (Charles H. Spurgeon, 1834-1892).

Para Refletir: Como você tem reagido às irritações da vida? Tem se rebelado, aprofundado as feridas, cultivado mágoas ou tem buscado a cura, a paz na Presença do Pai? Tem lutado, com moderação, para transformar as irritações em pérolas, o limão em limonada?

Oração: “Pai, ensina-me a perdoar a quem tem me ofendido. Ajuda-me a agradar o Seu Santo Espírito nos vales, abismos e desertos. Ensina-me a reagir frente às adversidades com dignidade, da forma que Lhe agrada. Faz de mim um imitador de Jesus, Seu Filho, que me encaminha até a Sua Presença, amém!


sábado, 5 de julho de 2014

'Pendurando as chuteiras?'

          Já aconteceu de você se cansar de correr atrás de um sonho, ‘pendurar as chuteiras’ e desabafar:- ‘Chega, eu desisto?
          É possível que isto tenha acontecido com o pai do patriarca Abraão, Terá. A Bíblia conta que ele saiu de Ur dos Caldeus com seu filho Abraão, sua nora Sara e seu neto Ló, rumo a Canaã (Gn 11.31). Entretanto, Terá não cumpre o seu propósito de chegar a Canaã. Permanece com sua família em Harã.

          Esta história levanta algumas questões relativas aos motivos que nos impelem a mudanças e a desistências.
          Por que Terá decidiu sair de Ur para Canaã? O falecimento de Harã afetou sua decisão? Qual o motivo de Terá ter escolhido Canaã? Como soube de Canaã, num mundo sem 'google e mídias oficiais'? Revelação de Deus ou Terá soube desta terra farta e produtiva por meio de viajantes? E, por que não concluiu seu intento? 
          O fato é que Terá perdeu precocemente seu filho Harã em Ur e saiu rumo a Canaã, estabelecendo-se no meio do caminho. É até possível que tenha batizado o lugar onde se fixou com o nome do seu filho Harã, num ato de saudosismo. 

           Meditando sobre este texto lembramos histórias de pessoas que, surpreendidas por uma tragédia tomam decisões radicais e depois confessam que isto foi um ‘atraso de vida’. 
          É possível superar a dor mudando de cidade ou de emprego, afastando-se de amigos e, até de familiares? Infelizmente, a experiência revela que não! Carregamos conosco as alegrias, as mágoas, a esperança ou desalento, as frustrações por onde quer que andemos. A dor precisa ser vencida racionalmente e isto não depende do lugar e sim da nossa decisão. Não de sentimentos, porque o coração é enganoso (Jr 17.9). Entretanto, creio ainda que sozinhos, mesmo que firmemente decididos, é impossível. A decisão é o ponto de partida, mas é Deus quem cura, eficazmente, as nossas emoções. Deus é quem sara a nossa terra.


Como era Harã? Acredita-se que ficava no sul da Turquia, numa região com muitas tribos araméias da família de Abraão e, tanto o povo de Harã como o de Ur, adoravam a lua. O pai de Abraão fica em Harã até a sua morte e ali serve a outros deuses (Js 24.2). 
Ruínas de Harã - http://pt.wikipedia.org/wiki/Har%C3%A3 
          Que triste história e como ela tem se repetido. O que pode se tornar um 'Harã' para nossas vidas? O que tem nos estacionado, esvaziado o nosso entusiasmo e impedido que cheguemos à Canaã? Quais têm sido as distrações, emoções que tem nos enlaçado e tornado uma vida que poderia ser tão bonita numa vida medíocre, infeliz, distante de Deus? 

          Penso que, de todos os nossos sonhos, o mais relevante é o ter uma vida significativa, sob a direção de Deus. É chegar na velhice e poder olhar para o passado com o sentimento de missão cumprida, de não ter desperdiçado a vida. 
          Entretanto, muitas vezes, aves de rapina tem nos afastado da adoração, da nossa consagração a Deus (Gn 15.9-11).
          São pessoas que ‘puxam o nosso tapete’ e tentam nos desestimular, fazer com que desviemos do foco: "Com efeito, não é inimigo que me afronta; se o fosse, eu o suportaria; nem é o que me odeia quem se exalta contra mim, pois dele eu me esconderia; mas és tu, homem meu igual, meu companheiro e meu íntimo amigo. Juntos andávamos, juntos nos entretínhamos e íamos com a multidão à Casa de Deus" (Sl 55.12-14).
          Podem ser ainda pensamentos, sentimentos que cultivamos e que murcham o nosso interior.

          E então, machucados, colocamos precipitadamente ponto final em projetos*. Como precisamos de sintonia com Deus para saber quando parar e quando perseverar. Como carecemos da ajuda do Pai pra avançarmos, indiferentes às ‘picuinhas’ humanas, cultivando o perdão, focados e impactados somente n'Ele e por Ele pra sermos abençoados e abençoadores.

          Após a morte de Terá, Abraão deixa Harã, juntamente com Ló rumo a Canaã, obedecendo ao chamado de Deus e finalizando o sonho de seu pai: "... Sai da tua terra, da tua parentela e da casa de teu pai e vai para a terra que te mostrarei; de ti farei uma grande nação, e te abençoarei, e te engrandecerei o nome: Sê tu uma benção!" (Gn 12.1-2).

          Abraão, sob a orientação de Deus, alcança e prospera em Canaã, mesmo sofrendo perseguições, tanto por estrangeiros e familiares, ao longo de sua caminhada. 
          Os obstáculos, todavia, não o afastaram do alvo porque Deus estava com ele, ensinando-o a sair de sua tenda (Gn 15.5), a erguer os olhos (Gn 13.14; 15.5), a enxergar as maravilhas, mesmo no deserto (Gn 13.15; 15.5), a prosseguir para um novo tempo (Gn 13.17), com fé (Gn 13.18; 15.6) e com ousadia (Gn 15.1). 

          Estar com Deus e dentro de Sua vontade faz toda diferença!


          Pendurar as chuteiras? NUNCA, JAMAIS!!!
          As pedras do caminho, os obstáculos, os embates servem para fortalecer ainda mais as nossas pernas, aumentar a nossa convicção e como num rio, as pedras anunciam uma nova melodia, uma nova experiência com o nosso Deus e Pai que, dia após dia, traz alegria e significado para o nosso respirar!
          Para onde iremos nós, somente o Senhor tem as Palavras de vida eterna e nós temos crido e conhecido (Jo 6.68-69) da Sua Santidade e do Seu grande amor! 
          Em Seus braços eu me escondo e encontro a paz inigualável da Sua Presença.  ALELUIA!!!
Viagem de Abraão - http://www.abiblia.org/ver.php?id=6438#.U3vLwtJdUUE
"Não fosse o Senhor que esteve ao nosso lado..., 
quando os homens se levantaram contra nós"
Eu que o diga, você que o diga. Mas, 
"salvou-se a nossa alma... quebrou-se o laço, e nós nos vimos livres.
O nosso socorro está em o nome do Senhor, 
criador do céu e da terra" (Sl 124).
ALELUIA!!! SOLI DEO GLORIA!!!