“... Sob a Tua Palavra lançarei as redes" (Lc 5.5b)


'O Teu caminho, ó Deus, é de santidade.

Que Deus é tão grande como o nosso Deus?

Tu és o Deus que opera maravilhas e, entre os povos, tens feito notório o teu poder" (Sl 77.13-14)


terça-feira, 18 de agosto de 2015

Vivo ou morto?

Vivo ou morto? - Aprendendo com os gambás (Didelphis sp)
Texto Bíblico: “...Conheço as tuas obras, que tens nome de que vives e estás morto”¹

            O gambá2,3,4, marsupial de hábito noturno, movimenta-se lentamente no solo. Sobe com facilidade em árvores, com sua cauda preênsil. Onívoro, consome proteínas de origem vegetal e animal: raízes, frutos, aves, lagartos, insetos. Tem sido perseguido pelos produtores rurais por causar grande prejuízo nos ataques a galinheiros.
         Os filhotes nascem ainda embriões. Finalizam o desenvolvimento no marsúpio, abertura localizada na parte ventral das fêmeas, com mamas no interior, que fornecem alimento para os filhotes. Solitários, unem-se em casais somente durante a reprodução, quando constroem ninhos, com folhas secas; em buracos de árvores, ocos de paus.

Suas glândulas axilares liberam uma secreção fedida que afasta os predadores. Durante o cio as fêmeas liberam a mesma secreção, para atrair os machos. Quando ameaçado, exala este cheiro e finge-se de morto. Alguns ficam imóveis e colocam a língua para fora, entre os dentes, até o inimigo se afastar, quando então, fogem rapidamente.

            Você conhece alguém individualista, reclamão, um eterno insatisfeito? Há quem diga que quando ele chega, o ambiente fica poluído, um clima ruim, porque o sujeito exala uma amargura contagiante. Humanos que lembram o gambá no seu 'cheiro' repelente. Alguns deles são pessoas solitárias que não se envolvem com as outras, não se empenham em prol de uma causa. Adotam um estilo de vida alienado, insensível. Eles estando bem, o resto não importa. Quando confrontados, se fazem de mortos: -“Injustiças? Miséria? Dor? É o outro que está sofrendo? Problema dele! Não me compete resolver”. Jesus disse sobre os membros da igreja em Sardes: “Conheço as tuas obras, que tens nome de que vives e estás morto”.1

Conta-se que Alfred Bernhard Nobel (1833-1896), rico e famoso inventor da dinamite, lamentava que este explosivo tivesse se tornado poderosa arma de guerra. Poeta e pacifista ficou chocado ao ler a manchete de sua morte, em 1888, num jornal francês: "Le marchand de la mort est mort" ('O mercador da morte está morto'). O repórter se enganara. Seu irmão que havia falecido. Abatido, decide resgatar o seu nome, mudar a sua biografia. Redigiu um testamento deixando toda a sua fortuna na criação de uma instituição que premiaria pessoas de qualquer nacionalidade, que se destacassem nos campos da química, física, fisiologia ou medicina, literatura e na promoção da paz (Prêmio Nobel).5

Como tem sido a sua história? Como as pessoas descreveriam a sua vida? Não importa o que aconteceu até agora, sempre é possível melhorar, reverter qualquer situação, sob as mãos de Deus.

Perguntaram para um sábio: 'Quantos anos você tem?' E o sábio respondeu: 'Eu não sei, sei quantos anos eu já tive, mas não são mais meus, já passaram. Quantos anos ainda tenho pra viver, não sei'.
E nós? Quantos anos nos restam? Não sabemos! Mas, podemos fazer deles (sejam dias, meses ou décadas) um grande banquete na companhia de cada pessoa, escolhida por Deus, para nossa convivência.

Para Refletir: Qual tem sido a minha contribuição para melhorar o ambiente em que vivo? Acomodei-me aos 'tempos modernos' ou tenho buscado renovos, dia a dia? Como melhorar minha biografia? Reflita, anote sobre os passos que deve dar e as estratégias para atingir os objetivos.
Oração: “Senhor, peço que o sangue de Jesus Cristo me limpe, me purifique de todo o pecado. Agradeço porque ainda tenho oportunidades, porque a última linha da minha história ainda não foi escrita. Peço-Lhe que escreva os próximos capítulos comigo, a quatro mãos. Ensina-me a vigiar, a me preservar de tudo aquilo que possa me contaminar ou me afastar da Sua Presença. Amém!”

Referências
¹ Apocalipse 3.1b.
2 Hunsaker II, D. 1977. Ecology of new world marsupials. In: Hunsaker II, D. (ed.). The 
         Biology of Marsupials. Academic Press,. New York, p. 95-156, 1977.
Julien-Laferrière, D.; Atramentowicz, M. 1990. Feeding and reproduction of three                    
        didelphid marsupials in two Neotropical forests (French Guiana). Biotropica, v.22, n.4, p. 
        404-415, 1990.
Cherem, J.; Graipel, M.E.; Menezes, M.E.; Soldateli, M. Observações sobre a     
      biologia do gambá (Didelphis marsupialis) na Ilha de Ratones Grande, Estado de Santa 
      Catarina, Brasil. Biotemas, v.9, n.2, p. 47 - 56, 1996.
5 http://www.time.com/time/magazine/article/0,9171,998209,00.html
 https://pt.wikipedia.org/wiki/Gamb%C3%A1









sexta-feira, 14 de agosto de 2015

'Carta a Deus'

           Ludwig Ingwer Nommensen (1834-1918), missionário luterano alemão foi pra Sumatra onde traduziu o Novo Testamento para a língua Batak. Apesar das ameaças que sofreu e de uma vida intensa de percalços, incluindo a perda da esposa e de 2 filhos (na guerra e por assassinato) é conhecido como um dos missionários mais bem sucedido de todos os tempos.
          O seu compromisso era pregar o Evangelho respeitando os costumes nativos sem querer modificá-los.
          Quando morreu (1918) a igreja que fundou contava com 180 mil membros, 34 pastores Batak e 788 professores evangelistas. Atualmente, esta igreja é uma das maiores denominações protestantes da Ásia e agrega a maioria dos cristãos Batak, com cerca de 2,5 milhões de membros.
http://www.infoescola.com/indonesia/geografia-da-indonesia/
          Sua ida para Sumatra foi sob muito temor porque seu antecessor fora assassinado e acreditava-se que tinha sido, inclusive, comido pelos nativos. Ele sofreu ataques de feiticeiros e um atentado por envenenamento, mas escapou incólume.
http://www.worldwildlife.org/places/borneo-and-sumatra


http://www.rontravel.com/travel_photo_pages/pictures_indonesia_happy_cannibal.htm
           Antes de ir, pela primeira vez para Sumatra, escreveu uma belíssima oração no seu diário mostrando que a origem do seu sucesso estava na sua humildade e total dependência do Pai (L. Schlemper, Pão Diário, 2009):

"Hoje, em 13 de abril de 1862, renovo a minha aliança que fiz contigo, meu Deus e Pai, por meio do Teu Filho Jesus Cristo. Tu me escolheste e sustentaste. Desde a minha infância me ensinaste. Por meio de tudo isso me chamaste para que eu seja um mensageiro do Teu Evangelho entre os pagãos. Por isso te entrego a minha vida, o meu tempo, o meu corpo, alma e espírito. São dádivas tuas que consagro a Ti. 
Caso eu venha a me separar de Ti, ou se satanás me seduzir a cometer algum pecado, então inquieta-me o tempo todo, dia e noite. Renovo a minha aliança de lutar contra o diabo e seus poderes. 
Ensina-me a odiar o pecado. Guarda-me quando os meus adversários forem muitos ou fortes demais. Sela a minha aliança contigo lá no alto, assim como a selo no meu livro. E vocês, mundo e diabo, saibam que pertenço a Jesus. 
Ó amado, Senhor Jesus Cristo, tu me selaste contigo mesmo por meio da Tua Palavra e da Tua morte sobre o Gólgota. Creio nisso e digo amém"

          Deus não permite que nossa fé seja envergonhada. Louvado seja Deus!!!

http://www.orangesmile.com/travelguide/sumatra/


quinta-feira, 13 de agosto de 2015

"Duelo em Dueto - avivamento morávio"

Avivamento Morávio: completa hoje 288 anos



          Fui surpreendida pela visita de um morador de Morávia em meu blog, na segunda feira p.p. (10/08/15). Como sempre faço fui ao mapa  localizar este país. Por 'coincidência', dois dias depois (12/08/15) li uma meditação sobre um grande avivamento experimentado pelos morávios, no início do século 18. Curiosa, fui consultar mais a respeito e fiquei maravilhada. Agora à tarde decidi escrever sobre o 'avivamento morávio' e, admirada, verifico que hoje (13/08/2015) completa exatamente 288 anos de quando tudo começou.


          


O que aprendi?
          Morávia situa-se na Europa e é a parte oriental da atual Republica Tcheca. 
           Faz fronteira ao norte com a Polônia e Silésia. Ao sul com a Áustria, ao leste com a Eslováquia e a oeste com a Boêmia. Recebeu este nome porque seu início se deu com o povoamento das margens do Rio Morava por eslavos, nos anos 500 d.C.

          Início do século 18: um pastor de ovelhas morador de Morávia, Christiano David, apelidado 'o servo do Senhor', preocupado com a perseguição religiosa que os reformadores enfrentavam em seu país, procurou o conde alemão Nikolaus Ludwig von Zinzendorf que concordou em recebê-lo em suas terras, em Herrnhut, juntamente com outros cristãos perseguidos. 

          





Em 1722, numa viagem de 12 dias através de montanhas, Christiano chega em Herrnhut, com 5 famílias morávias. Pouco a pouco, mais refugiados, de várias origens, vão chegando e todos são recebidos com muito carinho pelo conde. Dentre eles havia seguidores de Calvino, Lutero e João Huss (reformador de origem tcheca). Infelizmente, houve entre eles divergências a respeito de algumas doutrinas. 

 O historiador Hutton conta que o conde interviu sabiamente, transformando um possível duelo em dueto organizando grupos administrados por 42 estatutos.

          No dia 13 de agosto de 1727 (exatos 288 anos atrás), todos foram convidados para Celebração da Ceia do Senhor. Naquela noite desfrutaram de uma alegria e uma comunhão extraordinária. Decidiram não valorizar os pontos discordantes e sim os que eram de crença comum e se unirem em uma intercessão de hora em hora, durante 24 horas/dia. Há quem diga que esta vigília ininterrupta de oração durou mais de cem anos. 
          As orações resultaram num avivamento sem igual. O amor fraternal, a vontade que o mundo tivesse o mesmo privilégio que gozavam despertou no povo morávio uma premência por missões e começaram a enviar missionários para várias partes do mundo. 

         Eis a história de um povo que buscou compreender a Palavra de Deus, se submeteu a Ele em oração e se uniu, apesar das diferenças. A receita e o resultado final são os mesmos experimentados pela igreja primitiva:
 "E perseveravam na doutrina dos apóstolos e na comunhão, no partir do pão e nas orações... Todos os que creram estavam juntos e tinham tudo em comum.... Enquanto isso, acrescentava-lhes o Senhor, dia a dia, os que ia sendo salvos" (At 2.42-47)
          Conta-se que Peter Meiderlin, teólogo luterano da cidade de Augsbrg (Alemanha), teve um sonho impressionante em 1627, no qual foi incentivado a perseverar na simplicidade e humildade de coração. Quando acorda ele escreve esta frase: "Si nos servaremus In necessariis Unitatem, In non-necessariis Libertatem, In utrisque Charitatem, optimo certe loco essent res nostrae" que significa: "No essencial, unidade; no não essencial, liberdade; e em ambas as coisas, o amor"*
          Não podemos deixar que coisas não essenciais, picuinhas, bobagens sejam motivos de divisão e da perda do foco no essencial, na doutrina ensinada por Jesus Cristo e transmitida a nós pela igreja primitiva.
          A comunhão, o estar juntos traz harmonia, paz, alegria ao corpo de Cristo que é a igreja. Quando há comunhão, Deus ordena Sua benção e vida abundante: 
"Oh! Como é bom e agradável viverem unidos os irmãos... Ali, ordena o Senhor a sua benção e a vida para sempre" (Sl 133) 

          Conflitos internos ou externos não podem atrapalhar o crescimento espiritual do povo de Deus. Não podem ter o poder de afastar-nos da oração, da comunhão entre os irmãos, da Presença de Deus. 
          Que o nosso Deus intervenha na nossa história tão inundada e dividida por ventos de doutrina.
          Ah, que o nosso país acorde para que possamos nos unir em oração e que Deus traga um renovo na vida do Brasil como trouxe ao povo morávio 288 anos atrás.
         Que comece comigo e com você. Não nos descuidemos da oração. 
         Voltemo-nos para o Senhor porque somente Ele pode curar a nossa nação!

Refletindo: Que tal começar hoje uma campanha de oração em favor das nossas famílias, nossas igrejas e do povo brasileiro?

“Se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e me buscar, e se converter dos seus maus caminhos, então, eu ouvirei dos céus, perdoarei os seus pecados e sararei a sua terra" (2 Cr 7.14)

Referências e Fotos:
* http://www.mackenzie.br/fileadmin/Mantenedora/CPAJ/revista/VOLUME_V__2000__2/Frans_Leonard.pdf
* Dia a dia com Deus - 40 dias de Avivamento. Livro Devocional. Publicações RBC, Curitiba (PR)
* http://www.ultimato.com.br/revista/artigos/311/no-essencial-unidade-nas-diferencas-liberdade-e-em-ambas-as-coisas-o-amor
* Fotos extraídas de: http://www.mousetravel.net/serene-beauty-of-moravia/
e http://www.google.com.br/imgres?imgurl=http://www.platanoeditora.pt/ e http://www.agmisgpn.org/node/65

'A mamangava Matilde - uma história verídica'

Momento da saudade: postando novamente esta historinha (verídica) escrita pela minha filha Deborah. 

MAMANGAVA MATILDE =)
06/09/2004 23:21

Criatura maluquinha!!!
Bom, essa foto é pra contar um fato que aconteceu com minha família por causa desse animal:
Tudo começou com a "ambição" de tirarmos fotos desse inseto bizonho, por motivos intelectuais... (sempre bom lembrar que minha mãe é "abelhóloga" ...sim, uma bióloga (das boas!!!) que se especializou em abelhas)... 

Na verdade, esse animal da foto não é bem a abelha que estamos acostumados, tudo indica que é uma mamangava...  Mamangava é aquele 'bixu' peçonhento que parece um besourão, mas que você sente a diferença na pele se ele te picar.... é... dói!!
Então..... meu pai trouxe esse monstro do sítio aqui pra casa, pra eu tirar fotos... O que aconteceu é que não tinha nenhuma redoma de vidro, nenhuma cápsula espacial, nem mesmo uma linha imaginária pra separar a criatura do meu frágil ser vivente...
Tudo bem até aí, mas o que num tá muito bem é que a Matilde (sim, me sinto perfeitamente autorizada a batizá-la) ESCAPOU de nosso controle (que já era meio duvidável...).

Bom, imagine a seguinte cena em câmera lenta:
- A abelha escapa.
- Deborah se joga no chão e sai se arrastando, lutando bravamente pela vida (e pela vida da máquina fotográfica), até a porta mais próxima.
-Mamãe e papai agarram suas armas (toalhas de banho) e tentam derrubar o inimigo.
-Com "êxito", a Matilde cai no chão...Ou melhor, " cai no CÃO"....Sim, a mamangava Matilde caiu em cima da Mel, minha linda cachorrinha que num tinha nada a ver com a história e que naquela altura já estava desesperada....

De fato, ela estava se esforçando arduamente para engolir a Matilde...mal sabendo ela que isso poderia significar seu fim!!!
- Eu comecei a gritar pela vida da cachorra e consegui atraí-la até meu refúgio atrás da porta.. Eu já vinha dizendo, após sábia meditação, que devíamos declarar paz e deixar a Matilde reinar naquele pedaço da casa, afinal, a cozinha num ia fazer falta, mas ninguém me deu ouvidos!!! (Vê se pode!!!)
- Bom , "nós" resgatamos a Matilde!!! Eeeeba!
Depois dessa saga e de mais alguns flashs para celebrar a vida, prendemos a Matilde em um pote de doce vazio, e colocamos na geladeira... Não, nós não matamos a Matilde!! Os insetos "ressuscitam" mesmo depois de colocados em baixas temperaturas...Então, nós definitivamente não matamos a Matilde (mesmo depois de tudo o que ela fez!)... apenas ESQUECEMOS dela, ooops...

Mas o bizarro foi que, dias depois, vejo meu pai "saindo da geladeira" com diversas qualidades de guloseimas, potes de doce, queijos e o que mais ele tivesse direito; sem se importar com o prazo de validade... Foi quando eu vi, ninguém mais, ninguém menos do que: MATILDE!!!! 
E se não fosse por mim meu pai teria comido ela com requeijão e geléia, pensando que era um brigadeiro ou algo assim...é.. meu pai tem um paladar bem "arrojado", ainda vou ter que escrever sobre isso...
Mas, quando eu já estava preparando um funeral digno de uma combatente de guerra, meu papy chegou com um sorriso de Bob Esponja na cara e disse:
- Béa (meu apelido carinhoso quando ele tá com preguiça de falar o nome inteiro.), ela tá viva, olha...

Não pude conter minha emoção e, logicamente, sai correndo, em fuga, de novo!!! Ora, faça-me o favor; quem gostaria de ser picado por uma mamangava que atire a primeira pedra!!!! E é por isso que eu dedico o dia de hoje pra Matilde! Afinal, você pensa que esse tipo de bichinho dá em árvore?? Bom... na verdade dá ...

E viva a Matilde!!!E viva as mamangavas que dão em árvore!!!! E viva os animais pecilotermos!!! VIVA!!! Bjinho
* Nota de esclarecimento: Matilde foi devolvida ao sítio de onde foi tirada e deve ter vivido longo tempo e com muita experiência para contar...

Leia mais histórias escritas pela Deborah no link: http://destilardosfavos.blogspot.com.br/p/sinapses-da-minha-filha-deborah.html


quarta-feira, 12 de agosto de 2015

'ORA que melhORA!'

          Anteontem eu estava no centro da minha cidade (Rua Afonso Pena) e fiquei assustada ao passar por um jovem que berrava palavras de baixo calão, ao celular. Orei por ele: 'Senhor, que coisa triste! Acalma este moço, trata do coração dele, Senhor. Dá oportunidade dele Te conhecer'
          Fui ao banco e em várias lojas e, ao retornar pra casa, cerca de 3 quadras de onde tinha visto o rapaz, numa outra rua (Rua Tenente Virmondes), transversal à primeira, vi o mesmo jovem, também no celular. Ele dizia, de modo tranquilo: 'Tá certo, precisamos tratar o outro com respeito...'

          Você acredita em coincidências? Eu não! Sei que tudo tem um propósito de Deus, mesmo os detalhes e as coisas mais banais. Agradeço a Deus por eu ter presenciado parte da resposta à minha oração.

          Voltei pensando em escrever isto no blog juntando a ideia do título: 'Ora que melhora'. Esta frase muito usada em músicas, plásticos de carro nos ensina que se a nossa vida não está boa, está parecendo desbarrancar e os nossos sonhos estão indo por água abaixo, tudo pode melhorar se orarmos. Quando entregamos nossas vidas ao Senhor, algo novo e extraordinário acontece seja nas circunstâncias ou mesmo em nosso coração, trazendo paz, esperança que somente Deus pode oferecer.
          Leia uma experiência pessoal em: 
http://destilardosfavos.blogspot.com.br/2012/09/experiencia-pessoal-experimentando-paz.html


        ORA QUE MELHORA!
        Está passando por lutas, por nuvens escuras? Lembre-se que atrás das nuvens existe um céu que continua azul e límpido. Lembre-se que existe um Deus que cuida de nós, que não nos abandona. Ora que melhora
"Eu, o Senhor, a vigio e a cada momento a regarei; 
para que ninguém lhe faça dano, de noite e de dia eu cuidarei dela" (Is 27.3).
       Chegará a hora em que o sol fará o céu brilhar com todo fulgor. Quando oramos mesmo dentro do 'olho do furacão', na impossibilidade, Deus trabalha no nosso coração trazendo paz, confiança que algo novo irá acontecer.
        Quando oramos nossa coração se fortalece e não tememos más notícias (Sl 112.7) porque sabemos que o nosso Redentor vive e tudo cooperará, no final, para o nosso bem (Rm 8.28). 
        Nas provações lembre-se das promessas, traga à memória o que Deus já fez, do zelo que tem demonstrado por nós. Isso fortalece o músculo da fé e nos impulsiona a levantar e avançar mesmo sem luz no fundo do túnel.

        No final de uma sexta feira (duas semanas atrás), li uma notícia que me afetava diretamente. Não tinha recursos para compreendê-la totalmente e teria que passar todo o final de semana no escuro, sem saber o quanto ela poderia me afetar e afetar a vida da minha família. Lembrei que tenho um Deus que cuida de mim, que não devo ter medo de más notícias. 

        Orei entregando o resultado em Suas mãos e aquietei meu coração a tal ponto que até esqueci do que tinha lido. No domingo, quando me lembrei, corri e anotei na agenda porque na segunda feira precisava conferir, sem falta, se havia alguma providência que eu precisava tomar e receei esquecer novamente. Não é amnésia (rsrs), é aprender a sossegar no Senhor! 
          Tente praticar isto, é bom demais! Fazer o que compete a nós, o que está ao alcance de nossas mãos e aquietar o coração porque o resultado está na mãos do nosso Pai, que não se esquece de nós!
          Lembre-se:
“O que a mim me concerne o Senhor levará a bom termo... 
Não desampares as obras das tuas mãos” (Sl 138.8). ALELUIA!
        Temos um Deus que responde as orações, um Pai de amor que trata e cura o nosso interior.  Ora! Deus pode fazer de ruínas, algo novo e especial. 
Deus pode aquietar um coração aflito trazendo a esperança e paz. 
Ora que melhora!


“O Senhor te guiará continuamente, fartará a tua alma até em lugares áridos e fortificará os teus ossos; serás como um jardim regado e como um manancial cujas águas jamais faltam. Os teus filhos edificarão as antigas ruínas; levantarás os fundamentos de muitas gerações e serás chamado reparador de brechas e restaurador de veredas para que o país se torne habitável (Is 58.11-12).
Luiz de Carvalho - 90 anos - 67 discos

'FERVENTE ORAÇÃO'
1 Em fervente oração, vem o teu coração 
Na presença de Deus derramar! 
Mas só podes fruir o que estás a pedir, 
Quando tudo deixares no Altar. 


Coro
Quando tudo perante o Senhor estiver, 
E todo o teu ser Ele controlar, 
Só, então, hás de ver que o Senhor tem poder, 
Quando tudo deixares no Altar. 


2 - Maravilhas de amor te fará o Senhor. 
Atendendo à oração que aceitar. 
Seu imenso poder, te virá socorrer, 
Quando tudo deixares no Altar. 


3 - Se orares, porém, sem o teu coração 
Ter a paz que o Senhor pode dar, 
Foi por Deus não Sentir que tua alma se abriu, 
Tudo, tudo, deixando no Altar.



segunda-feira, 10 de agosto de 2015

'Guarda-passado'

Guarda-passado - Aprendendo com as abelhas e com aves.
Texto Bíblico: “Observai as aves do céu: não semeiam, não colhem, nem ajuntam em celeiros; contudo, vosso Pai celeste as sustenta. Porventura, não valeis vós muito mais do que as aves?” (Mt 6.26)

            Existe uma doença, Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC), que compele a pessoa a armazenar quaisquer objetos, mesmo quebrados, considerando que um dia poderão ser úteis. A pessoa guarda latas usadas, eletrodomésticos quebrados, lâmpadas queimadas, panelas sem cabo, roupas velhas. Segundo os especialistas, este comportamento, dentre vários motivos, pode refletir carências afetivas ou medo de passar necessidades no futuro. Sua casa torna-se um local desconfortável, intolerável e, muitas vezes, caso de polícia.

            Há quem guarde lixo, mas há os avarentos, os gananciosos que lutam para angariar bens materiais. Na era do consumismo, se esfolam, trabalhando pra lotarem gavetas, contas bancárias; num frenesi sem trégua, achando-se eternos.
Há também as que armazenam muito entulho, porém, no seu interior. São angústias, mágoas e, volta e meia, vão remexendo estas más lembranças, azedando sua alma, e deixando sua vida e, também a vida dos que convivem com ela, insuportável.

      As abelhas sociais do gênero Apis são mestres em armazenar alimento para o período de escassez. Para isto, elas trabalham com a matéria prima (néctar) tornando o produto final (mel) preparado para enfrentar anos sem se estragar. Na falta da matéria prima, migram. 
 As aves, por sua vez, não guardam alimento. Buscam o que precisam para suas necessidades e, quando as circunstâncias são desfavoráveis, migram, voltando quando possível. 

Estes animais nos ensinam formas diferentes de se adaptar, de sobreviver.

    Deus diz que não devemos ficar ansiosos pelo dia de amanhã. Ele cuida das aves e das abelhas, dando a elas recursos para obterem o mantimento que precisam ou condições para que migrem para outros ambientes mais favoráveis. Deus diz que nos valoriza muito mais do que qualquer animal. A ansiedade e a compulsão não seria, de certa forma, uma demonstração da falta de fé no amor do nosso Deus, criador e provedor de todas as coisas?

   Armazenar na bonança para desfrutar na escassez é importante e tem viabilizado a vida de muitos animais. Entretanto, o problema está no amor ao que está estocado ou também, no que temos retido no nosso interior, como rancor e mágoas. Isso tem gerado dor, aflição e azedado muitas vidas. Perdoar, jogar fora os lixos e esvaziar, definitivamente, as lixeiras podem nos ajudar a avançar, a desfrutar de uma vida de qualidade, sem azedume. Que Deus nos ensine a selecionar o que devemos priorizar, cultivar e o que devemos deletar de nossas memórias e de nossas vidas.

Para Refletir: O que você tem guardado no seu coração? Coisas? Propriedades? Amor, Rancor? O que você tem transportado pela vida a fora? Mágoas, ira, feridas ou saudades, boas memórias, paz, amor? Tem perdoado o seu ofensor? Tem pedido perdão a Deus? Tem se perdoado?


Oração: “Senhor, meu Deus, faz de mim uma pessoa serena, confiante no Seu amor e cuidado. Que eu não passe os meus dias perturbado, angariando coisas que não levarei para a eternidade. Que eu valorize e armazene, em abundância, amigos, boas atitudes, vivências que tenham valor eterno. Ensina-me a fazer isso, por Jesus. Amém”

domingo, 2 de agosto de 2015

'Só é seu aquilo que você dá!'

            Minha filha Deborah está agora na estrada.
            Deixou recadinho no facebook:   
                 Bye bye, Udia  
                 Oi, BSB 

           E compartilhou a música: Cabelo Solto de Marcela Taís
CABELO SOLTO - Marcela Taís
Cabelo solto
Vento no rosto

O som ligado
Deus do meu lado
A paz no peito
A estrada é essa
Vou desse jeito
Não tenho pressa
O dia hoje nasceu perfeito


O céu está aberto
Embora longe
É sempre perto

O céu está aberto
E quando juntos
Dá sempre certo

       Música perfeita! Ela está retornando para Brasília onde concluirá a sua residência médica.
          Isto mesmo, filhinha: curta e valorize cada oportunidade. Ela disse, ao sair: 'O dia está perfeito'. É verdade... E Deus está sempre perto! ALELUIA!!!
          Embora longe, é sempre perto - em cada canto de nossa casa, uma lembrança sua colorida e feliz!
          Aproveite muito filhinha. Deus abençoe sua vida e... volte logo...
Aproveito pra compartilhar uma postagem que ela fez, para sua reflexão:

"Só é seu aquilo que você dá"
           'Tava tocando uma música com essa frase no rádio hoje, enquanto eu ia pro Hospital. Independentemente do restante da letra, fiquei pensando que essa frase resume algo que tenho percebido há algum tempo: quanto mais doamos, mais nós temos! Passa a ser nosso, talvez de um outro jeito, entranhado na vida do outro, distante ou não. E eu não me refiro apenas a bens materiais. Também não me refiro àquela "massagem no ego" que corremos o risco de desejar no altruísmo. Queria conseguir peneirar um sentimento mais "limpo", um sentido mais leve, meio "sorriso de criança"...
          Talvez aquele sentido que leve a passar de um ato pensado e premeditado, pra um hábito no piloto automático. E que Deus nos ajude a sermos pessoas mais "doadoras" daquilo q é bom. E também a jogar fora o que é ruim! Não só porque colhemos o que plantamos, mas porque semear sementes fofinhas é essencialmente bom, uma necessidade nesse mundo árido ^^ (Daí eu cheguei no estacionamento... No meu teletransporte mediado por pensamentos! Deve ser por isso que nunca lembro o caminho de volta) xD'