“... Sob a Tua Palavra lançarei as redes" (Lc 5.5b)


'O Teu caminho, ó Deus, é de santidade.

Que Deus é tão grande como o nosso Deus?

Tu és o Deus que opera maravilhas e, entre os povos, tens feito notório o teu poder" (Sl 77.13-14)


quarta-feira, 23 de outubro de 2013

'A leveza da simplicidade'

Texto Bíblico: “Eis que vos envio como ovelhas ao meio de lobos; portanto, sedes prudentes como as serpentes e simples como as pombas” (Mt 10.16).

Simplicidade nos relacionamentos, valores, consumo: artigos raros nos tempos em que vivemos. Tempos controversos, com abundância exagerada de celulares, sites de relacionamentos e, no entanto, de interações, cada vez mais, aparentes e superficiais.
Muitos se perguntam: - 'Até que ponto devo confiar no outro, me doar, desabafar, sem parecer tolo e carente? Na dúvida, não é melhor eu me calar, esconder meus anseios, minhas dores?' 
Somos ainda bombardeados pela valorização da aparência externa e consumo com promessas de alcançar status social, reconhecimentos, aprovação. 
Entretanto, precisamos de tão pouco para viver e, no fundo, o que todos nós queremos é amar e sermos amados, sem subterfúgios. Ansiamos pela paz, por uma vida leve e tranquila.
Dalcides Biscalquin, ex-padre, largou a batina pra se casar e quando perguntado pela Revista Veja (23/10/2013) a respeito do que sente falta do tempo em que era padre, respondeu: "De ter poucas roupas e uma mala antiga. A simplicidade traz leveza".

Deus nos ensina a cultivar a simplicidade das pombas  (Columba livia), a aquietar o nosso coração. Os pombos vivem em agrupamentos e são símbolos de fidelidade ao seu parceiro e da dependência da provisão de Deus. Possuem excelente senso de direção e sabem para onde vão.
Este é o grande desafio. Viver uma vida gratificante, deleitando-se com a companhia dos que partilham conosco a caminhada, saboreando cada momento, cada garfada, sem perder o foco do destino que sonhamos chegar (Fp 3.13-14).  
Singeleza de coração não é isolamento, é um estado de espírito, uma disposição de relevar, de ser amável, sem rancor, mesmo com quem é rude conosco. É perdoar e amar mesmo os que são pouco amáveis
        É se transformar em imitador de Cristo e buscar, antes de tudo, agradar a Deus, desfrutando com o coração grato das oportunidades que Ele nos concede, que tem sido tantas.

Recordo, com saudades, de dois amigos preciosos. Juntos, meditávamos na Bíblia, trocávamos idéias, fazíamos serenatas. Hoje, moramos distantes, sem perspectiva de residirmos novamente na mesma cidade. Entretanto, fico feliz em saber que não desperdiçamos a chance dessa valiosa convivência.
Que instigante é desfrutar da diversidade de idéias, aprender com o outro, estabelecer vínculos, amadurecer na fé em Deus! Seriam estes os desafios que trazem doçura, significado ao nosso viver? Que nos ensinam a não desperdiçar a vida? A olhar para o passado e poder dizer: “Foi bom demais!”

Para Refletir: O que tem sido prioritário para você? Como estão os seus relacionamentos? Você tem valorizado sua família, seus amigos? O que fazer para melhorar?
Oração: “Senhor, ajuda-me a buscar na simplicidade, na convivência com o meu irmão a fonte de alegria, da comunhão, das realizações. Que eu possa saborear cada momento, sem pensar nos próximos que virão, desfrutando o presente da melhor forma possível, sem complicar a vida, para que ela seja vivida em toda a sua inteireza. Em Jesus que nos ensina a amar, amém”!


domingo, 20 de outubro de 2013

'Você é uma serotonina?'

         Uma família, muito amiga nossa, há anos tem lutado, em oração, para que seu filho, usuário de drogas, conheça a Deus e mude de vida. Dias atrás, num domingo à noite, ele foi sozinho até uma igreja na cidade onde estuda. No final do culto, procurou o pastor e ele não pode atendê-lo. Por sua vez, uma senhora já idosa, foi ao encontro deste rapaz, conversou e chamou-o num canto pra orar. Ele confessou que aquilo foi muito importante pra ele. Sentiu-se amado.
        Como eu gostaria de ter a sensibilidade desta mulher, da minha mãe que sempre convidava os estudantes pra almoçarem em nossa casa, uma casa tão simples, tão carente de recursos materiais, porém sempre tão acolhedora.


       Outro dia estávamos, minha filha Deborah e eu, comentando o quanto é precioso recebermos as pessoas com carinho, seja em nossa casa, no trabalho, na igreja, aonde estivermos, conhecidas ou não. A gente nunca sabe o que elas estão enfrentando. Podem ser enfermidades, problemas de relacionamentos, crises financeiras, depressão, vontade de conhecer mais de Deus...

         Sorri ao me lembrar do Gilson da 'Estância Palavra da Vida', em Atibaia (SP). Considerando o quanto os cachorros nos recebem com alegria, abanando o rabo, ele desenvolveu um código com seus amigos pra demonstrar a alegria de se reencontrarem. Eles abanam efusivamente os dedos indicadores. Gostei, uma demonstração externa da beleza, da alegria, do bem que uma boa amizade faz ao nosso interior!
       Segundo os pesquisadores, níveis baixos de serotonina no sistema nervoso central podem causar depressão. Que Deus nos ensine a 'sermos uma serotonina', a sempre darmos uma palavra de conforto, ânimo a quem encontrarmos pelas veredas da vida de modo que, na nossa velhice, possamos olhar pro passado, relembrar sorrisos, relacionamentos, olhares ternos e pensar que valeu a pena, que não desperdiçamos nossas vidas.


"O olhar de amigo alegra ao coração; as boas-novas fortalecem até os ossos" (Pv 15.30)

domingo, 13 de outubro de 2013

'Melhor é serem dois: parteiros de sonhos'

‘Melhor é serem dois’ - Aprendendo com o jabuti (Geochelone sp)
Texto Bíblico: “Melhor é serem dois do que um... porque se caírem, um levanta o companheiro; ai, porém, do que estiver só; pois, caindo, não haverá quem o levante” (Ec 4.9).

Alguns vídeos na internet mostram lances interessantes de relacionamentos cooperativos entre os animais. Num deles, um elefante cai no rio e um companheiro o ajuda a sair*. Noutro, um jabuti ajuda um parceiro, que estava com o casco pra baixo, a se virar*.
Um vídeo curioso mostra um pequeno pato alimentando um grupo de carpas. As diferenças não impediram a percepção da necessidade e colaboração*.
Deus diz: “Não é bom que o homem esteja só”. Faz-lhe uma companheira, dota o homem de sentimentos de solidariedade para o seu próximo e o coloca como administrador de sua criação (Sl 8).
Estudos têm mostrado que o convívio social aumenta a longevidade e que a qualidade de vida pode ser medida pelos relacionamentos que cultivamos. O colorido da nossa história não está no saldo bancário e sim nos risos, abraços, comemorações compartilhadas, no perdão, na compreensão que busca incluir e não excluir.
Solidão temporária, para reflexões, é benéfica; mas, se duradoura, como uma rotina, pode desenvolver um ranço interior, um egocentrismo doentio que pode aumentar a ansiedade e o risco de doenças cardíacas.
  
A palavra amigo vem do latim ‘amicus’, cuja raiz é amar. 
Quais as qualidades de um bom amigo?
Penso que um bom amigo é aquele que nos motiva a nos tornarmos uma pessoa melhor, mais agradável a Deus, mais próxima do Seu projeto. A lembrança deste amigo move o nosso interior, trazendo ternura, gratidão, saudades, vontade de tê-lo por perto.
Um bom amigo é aquele que:
1. Incentiva e ajuda o outro a encontrar o bom caminho para sua realização. Disponível, 
adverte com sinceridade, sem iludir com falsas esperanças. 
Age como parteiro e nunca como coveiro de sonhos saudáveis.
2. Sensível, entende o momento em que o outro vive, intercede, sustenta no que for necessário. O apóstolo Paulo tinha amigos que o assistiam em sua prisão na Itália. 
3. Edifica e anima o outro a confiar e esperar no Senhor.
4. Releva e perdoa com o coração compreensivo, sem acusações, sem se apegar a picuinhas que destroem os relacionamentos.
5. É confiável, sabe respeitar e guardar segredos. Ah, como são raras estas qualidades... Vamos praticá-las?
6. Respeita a fragilidade e limitações do outro. Não exige, não cobra atenção, desempenho.
7. Sempre arruma tempo para o outro. “Foi o tempo que passaste com a tua rosa que a tornou tão importante" (Saint-Exupéry)O tempo que dispomos ao outro revela a importância dele em nossa vida.

Este é o nosso desafio. Ser um amigo que busca e se alegra com o sucesso do outro e, nas derrotas, não somente oferece o ombro, mas também lamenta e clama a Deus por mudanças.
O destino pode afastar bons amigos, até por anos, mas quando acontece o reencontro há o mesmo brilho, entusiasmo, transparência na conversa como se retomássemos o papo do 'dia anterior'.

      Certo dia visitamos, noutra cidade, um casal de amigos. Fazia anos que não nos víamos. Conversamos, jantamos, conversamos. Três da madruga, a conversa fluía apesar dos bocejos de sono, mas nenhum de nós queria dar o primeiro passo pra ir dormir. Momento inesquecível!
Nossas mudanças de cidade tem nos afastado (geograficamente) de preciosos amigos, mas Deus é bondoso e tem incluído pessoas muito especiais em nossa história. Aqui estou eu, na expectativa, pra acolher com gratidão as novas amizades que Deus tem reservado pra nós em Uberlândia. 

Para Refletir: Temos sido um amigo confiável? Quantas pessoas contam com nossas orações, com o nosso apoio?  Quando partirmos para eternidade, deixaremos saudades? No que precisamos mudar pra sermos um amigo de fato e de verdade? 

Oração: “Deus meu, ensina-me a amar o meu companheiro de jornada, a ser sensível à sua dor e necessidades, a saber como ajudá-lo quando estiver abatido. Ensina-me a ser grato ao meu próximo e afaste de mim o egoísmo, a indiferença. Faz de mim um amigo fidedigno, que doe tempo e compreensão segundo o padrão que Jesus Cristo nos ensinou. Amém”.

 Exemplos citados:
*    jabuti: http://www.youtube.com/watch?v=Lb7qSuqSZYA
* pato e carpas: http://mais.uol.com.br/view/299yq0eahs14/solidariedade-animal--04023472D4910326?types=A&

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

'Casamento do meu filho Leandro'

        Sentimentos e memórias de uma mãe quando seu filho se casa:

            O meu maior sonho era ser mãe e um dia, num simples papel, estava escrito que Deus tinha me agraciado com este presente. A nossa alegria, do Leomam e minha, era inexprimível.
Após uma gestação maravilhosa, super produtiva na minha vida profissional, Leandro nasceu. No dia do seu nascimento, participei na Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (USP), de uma banca examinadora de doutorado pela manhã e após um rápido almoço, mais uma banca de doutorado. De lá, às 19 horas, fui pro consultório médico, hospital e o Leandro nasceu!
Quando saímos do hospital olhei para aquele bebê e, chorando emocionada, falei com Deus: 'Senhor, me ajuda, eu não vou dar conta. Como vou saber quando ele está com sede, com frio, com fome?' E, então, na minha imaturidade e excesso de amor, pedi uma coisa absurda: que o Leandro nunca tivesse uma frustração. Sou grata por Deus ter me capacitado a criar o Leandro e não ter atendido o meu segundo pedido! Estou certa de que as frustrações e as perdas foram essenciais para tornar o Leandro o homem de valor que é hoje.
Leandro no sítio do vô Leonel
Leandro e seu sorvete de limão










Deus, na Sua bondade, nos concedeu também uma filha, Deborah, que tem sido nossa companheira, nossa amiga, conselheira. Juntos, Leandro e Deborah, brincaram, cresceram, cantaram, se sujaram, riram, descobriram o mundo...
Bercinho construido pelo Leomam



Transformamos nosso quintal num 'playground'. Quando tinham 3-4 anos, Leomam fez um escorregador e 3 pontes ‘do rio que cai’ interligadas (sobre areia), cada uma de um jeito que movia a criança conforme caminhava. Cresceram e a ponte ficou obsoleta. 
Então, Leomam construiu uma casa na árvore de abiu: um cômodo grande com uma varanda deliciosa onde sentávamos pra olhar o pôr-do-sol de Jaboticabal (SP). Ali, dezenas de crianças brincaram de bangue-bangue; boneca, esconde-esconde. Pra subir e descer algumas alternativas: escada de corda, uma corda solta com nós ou escorredor no pé da árvore onde também tinha, do outro lado, um balanço. Mais tarde, naquele quintal mandamos construir uma piscina que era o deleite dos adolescentes e jovens de nossa igreja (IPBJ)
Casinha na árvore







Quantos acontecimentos; memórias; jantares 'a luz de velas' pra comemorar início das férias, início das aulas, conquistas; brincadeiras; alegrias e, também, a grande tristeza da perda da vó Luiza, do vô Leonel... Rimos e choramos juntos. 
Minha mãe Luiza
Meus sogros Leonel e Áurea

Nos seus aniversários muita festa, teatro, fantoches com a ajuda do Leomam, das minhas irmãs Maria Luiza e Carmen Silvia; meus sobrinhos, especialmente Moniza e Renata e alguns jovens da nossa igreja. 
Primeiro ano do Leandro e Deborah em gestação...
Tia Maria Luiza: fantoches em nossa casa
 Chegou o tempo de vestibular e Leandro foi aprovado em 5 faculdades públicas - Engenharia da Computação. Deus é tremendo! Optou pela USP de São Carlos. Quando ele mudou-se pra São Carlos escrevi um texto ‘Agora depende de você’: http://destilardosfavos.blogspot.com.br/2012/07/mensagem-ao-meu-filho-leandro-decisao.html



         Em São Carlos, Leandro conheceu a Cynthia (graduanda de Biologia pela UFSCar) na igreja (IPB) e começaram a namorar. Neste final de semana casaram-se e, aqui estou eu, num misto de sentimentos e memórias.

Confesso que quando Leandro foi pra São Carlos pensei que não conseguiria suportar as saudades, a preocupação. Entretanto, percebi pela tranqüilidade do meu coração o quanto Deus tratava comigo. Dormia em paz com a consciência de que o Leandro conhecia a Deus e a Sua Palavra e buscaria praticá-la.
Da mesma forma, ao se aproximar o casamento, jejuei e orei por eles e, também, pedi a Deus que continuasse zelando pelos meus sentimentos. Sei que Leandro está iniciando um lar e tem competência, maturidade e, principalmente, o propósito de fazer o melhor possível pra agradar a Deus. Sei que fazendo isto tornará a Cynthia uma mulher realizada e feliz. E, no casamento, tornaram-se uma só carne e ela sendo feliz ele também o será. 
Esta certeza tem aquietado o meu coração e acolho a Cynthia como uma filha, o terceiro filho que Deus está me presenteando. O meu maior desejo é continuar sendo uma mãe, uma parceira pra eles, ajudando-os na medida certa, de modo a cumprir o Seu propósito.
        

‘Meus filhos, Leandro e Cynthia, a minha oração é que vocês sejam exemplo dos fiéis, referencial em sua geração no amor, no respeito mútuo, na compreensão, no perdão e, principalmente, na reverência e compromisso com Deus e a Sua vontade. Que o nosso Pai os abençoe e que as Suas promessas sejam vivenciadas por este novo lar que se inicia:
O Senhor te guiará continuamente, 
fartará a tua alma até em lugares áridos e 
fortificará os teus ossos; 
serás como um jardim regado e 
como um manancial cujas águas jamais faltam.
Os teus filhos edificarão as antigas ruínas; 
levantarás os fundamentos de muitas gerações e 
serás chamado reparador de brechas e 
restaurador de veredas para que o país se torne habitável" (Is 58.11-12)

'Plante um pensamento e colha... um destino'

‘Virtudes associadas’
          O que é virtude? O dicionário diz que é um comportamento praticado, adquirido por decisão e esforço e o dito popular acrescenta que é mais preciosa que o ouro já que 'o ouro luz, a virtude reluz'.       
          Entretanto, a Palavra de Deus nos ensina que Jesus Cristo é o estopim, a mola propulsora de todas as virtudes e nos adverte que elas não são independentes. Para fazerem diferença benéfica associam-se a outras. 
         As virtudes nos ensinam como fazer o que temos que fazer. Saber o que fazer a maioria de nós sabe. O modo de fazer é o ponto nevrálgico para acertar ou não.
Alguns exemplos:
AMOR E VERDADE:
Há quem diga: “O que eu tenho que falar, eu falo mesmo. É verdade!” 
Paulo, porém, nos exorta em falar a verdade em amor: “... falando a verdade com espírito de amor, cresçamos em tudo até alcançarmos a altura espiritual de Cristo, que é a cabeça” (Ef 4.15 - NTLH)
 A verdade sem amor é frieza, grosseria, retaliação, legalismo. Amor sem verdade é sentimentalismo barato, falsidade, hipocrisia. Um sem o outro não perdura, não tem valor. 
A verdade associada ao amor traz crescimento espiritual, traz maturidade, transformação.

  Leomam meditou sobre este tema utilizando o texto: “Tão somente sê forte e mui corajoso para teres o cuidado de fazer segundo toda a lei que meu servo Moisés te ordenou; dela não te desvies, nem para a direita nem para a esquerda, para que sejas bem-sucedido por onde quer que andares” (Js 1.7).

Deus fala pra Josué que deveria ser forte, corajoso e cuidadoso em obedecer a Sua Palavra. A associação destas virtudes é o grande segredo da conquista.
Força: fundamental pra qualquer serviço. 
          Entretanto, a força sem cuidado gera brutalidade. 
         A força sem a coragem paralisa, não resulta em atitudes e sim em frustração.
Coragem: sem o cuidado é imprudência, é rebeldia.
Cuidado: sem a força e sem a coragem é medo, demonstração de incredulidade.

Davi era forte, corajoso, tinha derrotado um leão, um urso e o gigante Golias. Entretanto, quando afrontado por Eliabe, seu irmão, não revidou, desviou-se; obedecendo a Deus. Penso que a maior vitória de Davi, em sua juventude, não foi ter vencido Golias e sim ter superado o seu próprio ego. 

Força, coragem e cuidado em obedecer a Deus levam a tomar atitudes de defesa da honra e da dignidade mesmo diante de ameaças. Resultam em sucesso pessoal para quem as praticam, por onde quer que andem.
 Outras virtudes associadas (Rev. Magno Paterline): honestidade com disposição; moderação/bondade com justiça e jamais com omissão ou conivência, ira com perdão, paciência com advertência.
  Certo dia, escrevi sobre o tema: 'Tolerante sim, conivente jamais'. Tolerante é o que compreende as limitações do próximo e acolhe com misericórdia o pecador arrependido. Conivente é quem simpatiza com o pecado, alisa a cabeça do pecador e fala o que ele quer ouvir.
          Virtude deve se tornar um estilo de vida, praticado pela decisão e esforço. Tudo se inicia na esfera do pensamento, com uma pré-visão dos resultados de nossas atitudes, a insuperável paz de Deus:
“Finalmente, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja isso o que ocupe o vosso pensamento... 
e o Deus da paz seja convosco” (Fp 4.8).

          A sabedoria na escolha dos pensamentos resultará num novo estilo de vida e num destino diferenciado de tal modo que, na velhice, será possível olhar para o passado com satisfação porque a vida não foi desperdiçada.

“Plante um pensamento, colha uma ação;
Plante uma ação, colha um hábito;
Plante um hábito, colha um caráter;
Plante um caráter, colha um destino” (Stephen Covey)

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

'Estilos e estilhaços: a história da Dona Aranha'

          Era uma vez uma menina que fora transformada por uma fada má, numa aranha. Com o tempo, ela foi se aperfeiçoando na arte de tecer e se tornou uma estilista de mão cheia. Criava, tecia, bordava... 
          Certa feita, um príncipe fez um pedido especial. Ela deveria tecer um vestido de baile para uma garota muito inteligente, chamada Narizinho.
          Ah, o vestido ficou uma formosura. Era cor-de-rosa, com estrelinhas de ouro, com rendas e entremeios. Dentre outros adereços, na cabeça um diadema de orvalho e, nos dedos, anéis de brilhantes do mar. Para finalizar, dona Aranha polvilhou a garota com o pó de borboleta... parecia o pó-do-sol que acaba de nascer.
http://saladeleituramonteirolobato.blogspot.com.br/2010/04/no-reino-das-aguas-claras.html
          O espelho, onde a garota foi se mirar, ficou tão espantado que começou a arregalar os olhos de tal modo que rachou de alto a baixo. Quem poderia imaginar? Tempos atrás, uma fada boa dera este espelho pra dona Aranha com a promessa de que quando isto acontecesse, ela poderia escolher o que gostaria de ser: uma sereia, uma princesa...
          Ah, o grande momento chegara e, agora, dona Aranha tinha muitas opções, tinha nas mãos a chave do seu futuro. No que ela queria se transformar? Choveram palpites dos amigos. Porém, Dona Aranha ficou muito pensativa até que decidiu continuar sendo uma aranha. Tinha se habituado, feito o melhor que podia como aranha, tinha conquistado muitos amigos e era feliz.
          Esta história do livro intitulado "Reinações de Narizinho" do escritor brasileiro Monteiro Lobato faz com que nossa imaginação flua, com todo encanto dos detalhes da arte da dona Aranha.
          Entretanto, a decisão de dona Aranha fala muito ao nosso coração...

          Muitos buscam novidades, mudanças pra perceber, muitas vezes tardiamente, que era feliz e não sabia.
          Como nem tudo é redondinho, qual o melhor estilo de vida a ser adotado?
          Eu aprendo com o apóstolo Paulo a enfrentar as asperezas da vida, a lixar o que é possível e buscar ser feliz em toda e qualquer situação (Fp 4.11). Às vezes, os estilhaços que a vida nos oferece representam a oportunidade de construirmos memórias, algo novo, de experimentarmos o cuidado do Pai.

          Estou aqui me lembrando de um episódio. Com nossos filhos ainda pequenos, voltávamos, num domingo à tarde, da casa da minha sogra quando o carro quebrou próximo a Marília (SP). De um barzinho da estrada surgiu um homem que se ofereceu pra puxar nosso carro.
          Sem alternativas, aceitamos. Ele nos deixou num posto na entrada de Marília. Dalí pegamos um taxi e fomos pra um hotel levando algumas coisas que lembramos de pegar. Nosso carro ficou estacionado no posto. No hotel, tomamos um banho delicioso e, com chinelos havaianas (em grande estilo...), fomos numa pizzaria no 'point da cidade', rindo e brincando. No dia seguinte, após um cafezão maravilhoso, ficamos (as crianças e eu) no apartamento curtindo um bate papo gostoso, televisão enquanto Leomam providenciava o conserto do carro.
          Que lembrança e companhia deliciosa. Um entrave, um imprevisto desagradável tornou nossa viagem ainda mais divertida e inesquecível.

          Como precisamos aprender a adotar este estilo de vida. Valorizar o momento em que vivemos, as pessoas, fazendo o nosso melhor nas oportunidades que a vida nos oferece.
          Isto vale pras pequenas coisas e pras grandes também... Tem gente eternamente insatisfeita. Numa busca insaciável e doentia pelo prazer pessoal passa como trator sobre o sentimento do outro. Hoje, traição, busca desenfreada pelo prazer instantâneo, rebeldia aos ensinamentos da Palavra de Deus se tornaram banais. A desvalorização, a falta de respeito com alianças, com amigos e familiares tem trazido muita dor para nossa sociedade.
          Faz com que nos lembremos da ilustração em que alguém pergunta pra um casal já idoso, com mais de 50 anos de casados como eles conseguiram viver tanto tempo juntos. A resposta foi: "Somos de uma época em que quando alguma coisa quebra, aprendemos a consertar e não jogar fora".

          Algo pra gente refletir. Muitos tem descartado relacionamentos (seja conjugal, amizades, familiares); crenças. Qualquer dificuldade já pensa em desistir, abandonar, mudar o rumo. Vão deixando rastros de dor, estilhaços de amargura por onde passam. Tristes escolhas, infeliz estilo de vida! Colheitas amargas, vidas desperdiçadas. Pessoas que não deixarão saudades. Semeiam vento, colherão tempestades (Os 8.7).

          Que Deus nos ensine a mudar nossos princípios, a enfrentar os desafios, os estilhaços com nobreza, sempre considerando que estar vivo já é um grande privilégio. Que o nosso estilo seja o de valorizar o que dispomos, celebrando a vida mesmo em meio aos seus azedumes.
By Deborah
          Que Deus nos ensine a conviver com todos em paz, com alegria, coração disponível de modo que não esperemos as perdas pra perceber, tardiamente, que éramos felizes e não sabíamos.