“... Sob a Tua Palavra lançarei as redes" (Lc 5.5b)


'O Teu caminho, ó Deus, é de santidade.

Que Deus é tão grande como o nosso Deus?

Tu és o Deus que opera maravilhas e, entre os povos, tens feito notório o teu poder" (Sl 77.13-14)


terça-feira, 30 de outubro de 2012

'Renovando as forças rumo a um novo destino!'

Amplia minha fronteira, Senhor! 
Aprendendo com o bicho-preguiça (Bradypus variegatus)
Texto Bíblico: Oração de Jabez, atendida por Deus: “Oh! Tomara que me abençoes e me alargues as fronteiras, que seja comigo a Tua mão e me preserves do mal, de modo que não me sobrevenha aflição” (1 Crônicas 4.10)
           
O bicho-preguiça, mamífero de pêlos longos, evita se mexer, adaptou-se a uma vida de lentidão em tudo: movimentos, respiração e até sua digestão. 
Alimenta-se de folhas, flores, brotos e frutos. Seletivos quanto à fonte de alimento mostram preferência pelo fruto macio e doce da embaúba (Cecropia), árvore de zona tropical, freqüente na região Amazônica. Também é conhecida como "árvore-da-preguiça", por abrigar estes bichos nos seus galhos.
Raramente descem ao solo, a não ser para fazer suas necessidades fisiológicas, uma vez por semana. Quando esfria, entra num processo de letargia similar a hibernação.
Nadam relativamente bem, porém, apresentam dificuldades de se movimentarem no solo. Penduram-se nas árvores pelas suas longas garras e são capazes de girar a cabeça de modo a enxergar o que acontece em suas costas, sem movimentar o corpo. Nenhum perigo ou predador tiram sua sonolência.
Deficientes na visão e na audição, orientam-se pelo olfato. O cérebro, do tamanho de uma azeitona, é um dos menores, considerando a proporção cérebro e corpo.

O bicho-preguiça não tem culpa de ser assim. Estas características são inerentes à sua espécie. Entretanto, quantos homens não vivem, por decisão pessoal, de modo indiferente como o bicho-preguiça? 
Adaptaram-se a um estilo de vida sedentário, individualista. 
Não se relacionam, não aceitam novos desafios, expõem-se a predadores.
"Vencer a preguiça é essencial para sermos donos do nosso destino" (T. Atkinson)

Há quem se torne apático por medo de sofrer. Um provérbio popular diz: “Quem não quer sofrer, nasce morto”. Muitos perambulam, com nome de vivo, mas estão mortos por dentro. Segundo o Rev. Magno V. Paterline: - “Morreram e esqueceram-se de cair”.

Entretanto, não foi para este estilo de vida que fomos criados. 
Certa jovem, visitando uma exposição de múmias, tomou a decisão de não se abater pela preguiça. Tudo de bom e digno que viesse à sua mão, dentro de suas possibilidades, faria. Deixaria o descanso para a eternidade. 
Aqui na terra, usaria os recursos que Deus lhe deu para produzir, lutar, enfrentar desafios sem desistir e vencer o seu próprio medo e timidez:
"O covarde nunca tenta, o fracassado nunca termina e 
o vencedor nunca desiste" (Norman V. Peale),

O poema “Ilusões da vida”, de Francisco Otaviano, diz: “Quem passou pela vida em branca nuvem, e em plácido repouso adormeceu; quem não sentiu o frio da desgraça, quem passou pela vida e não sofreu, foi espectro de homem – não foi homem, só passou pela vida – não viveu”. 
Passar pela vida em brancas nuvens é o retrato de quem não se arrisca, de covarde que não enfrenta. 
Deus nos fez ousados e quer ampliar nossas fronteiras. Isto exige ação, exige que saiamos da zona de conforto. 
Como assim? Lutar pelo nosso casamento, pelos nossos relacionamentos (perdoar e pedir perdão), assumir ministérios na igreja, especializar-se, fazer uma faculdade, prestar concursos, ir à luta!

Pode gerar sofrimento, mas resultam em frutos, realizações, no gosto da vitória. 
A escola da adversidade nos ensina, nos habilita. 
As tempestades fortalecem nossas pernas e podem ser o instrumento de Deus para mudar o rumo do nosso barco e ampliar nossas fronteiras.
'Com tua mão segura, bem a minha
E pelo mundo, alegre seguirei

Mesmo onde as sombras caem mais escuras

Teu rosto vendo, nada temerei' (J. Neto)

Para Refletir: Você tem se afundado na covardia? Tem resistido a novos projetos? Tem se conformado com uma vidinha sem desafios, sem novidades? 
          Hoje é o tempo da oportunidade de enfrentar, de assumir as rédeas do seu destino, de construir um novo legado, sob a orientação de Deus:


Oração: “Senhor, amplia a minha fronteira, minha visão. Dê-me força, direção, sabedoria para cumprir projetos inovadores e audaciosos. Segura minha mão, óh meu Deus e, então, nada temerei. Em nome de Jesus, amém”.
"Porque Eu, o Senhor, teu Deus, te tomo 
pela tua mão direita e te digo: 
Não temas, que eu te ajudo" (Isaías 40.13)



Não estamos sós! Nossas mãos estão envolvidas pelas mãos do Deus Eterno! ALELUIA!




sábado, 27 de outubro de 2012

“Não quero desperdiçar minha vida!”

Ilusão da permanência... 
          “Se entendêssemos a brevidade de nossas vidas aqui na terra, investiríamos em valores eternos.
          Será que o cinquentão se atiraria no adultério se soubesse com que rapidez estaria diante do Seu Deus? 
         Será que a mulher adoeceria por conflitos, sem importância se soubesse quão pouco tempo lhe restava?  
          É a ilusão da permanência que distorce a nossa percepção e molda o nosso comportamento egoísta. Quando os valores eternos surgem diante dos nossos olhos, nosso maior desejo é o de agradar ao Senhor” (James Dobson)

          Ao ler esta reflexão de James Dobson, lembrei-me do seguinte pedido do salmista:
“Considero os meus caminhos e
volto os meus passos para os teus testemunhos” (Salmo 119.39)
          Ah, preciso de tão pouco para viver. O que realmente tem valor, o que é durável? Sem dúvida, os princípios eternos. Valeram na época dos faraós e valem hoje! Segundo Nietzsche, quem tem uma razão para viver é capaz de suportar qualquer coisa.
          O Senhor é a razão do meu viver e a minha esperança no porvir! "Porquanto, para mim, o viver é Cristo, e o morrer é lucro" (Fp 1.21).
          Em Sua Presença, meu coração se fortalece porque sei que o Senhor tem o controle de todas as coisas. Assim, não preciso ter medo de más notícias (Sl 112.7) porque tudo cooperará para o meu bem (Rm 8.28).
          Tenho convicção de que não estou sozinha e que não será meus recursos limitados, minhas estratégias desajeitadas que trarão a vitória porque "Não confio no meu arco, e não é a minha espada que me salva" (Sl 44.6).

          Que eu mantenha o foco no que realmente é relevante, não olhando (por displicência ou preguiça) para o lugar errado, para atalhos. Que eu jamais me esqueça do Deus de poder e graça que o Senhor é: 
Fui tolo, meus olhos estavam em lugar errado, em vez de estarem em Ti. Eu me esqueci de quem Tu és (Jó 42.2-3).
         Esta semana presenciei, do apartamento onde moro, a destruição de quatro casinhas. Em um dia elas vieram abaixo aos golpes de um trator. Estamos construindo no sítio há muitos meses um prédio muito menor. Tem custado tempo, muito suor, esforço sem contar o custo, as idas e vindas de caminhões com areia (grossa, fina), pedras...
           Como é fácil destruir! Destruir amizades, casamentos, sentimentos honrados, a proximidade com Deus e a Sua vontade. Cuidemos para preservar o que realmente vale a pena...
Cantinho de reflexões:        
·  Tenho sido negligente, tenho desperdiçado minha vida?
·  Quais valores verdadeiros tenho negociado ou desvalorizado?
·  Tenho ficado surdo a Palavra preciosa de Deus e me envolvido com barulhos estranhos?
·  Tenho me azedado por picuinhas?
·  Tenho perdido a alegria de viver por não perdoar meu parceiro de viagem?
·  Tenho deixado a mágoa atrapalhar o grande banquete da minha vida?
·  Já não é hora de decidir voltar para Deus e para Sua Palavra com todo o meu coração? 
·  No que preciso voltar para Deus e para Sua Palavra?
Oração
Senhor, ensine o meu coração a compreender a brevidade da vida. A entender que nunca saberei quando será o último abraço, o último olhar. 
Ensina-me a valorizar e a lutar pela minha família, pelos valores eternos, enfim, por tudo que realmente tem importância. A ter tremor e temor diante do sagrado, da Sua Palavra. 
Tira os pré-conceitos que possam prejudicar os meus relacionamentos e azedar o meu coração. Faz de mim uma nova criatura, disposta e disponível para toda boa obra. 
Que na sala de espera, mesmo em meio a dor, às ameaças, eu não tema más notícias porque a certeza de que o Senhor está comigo, no controle absoluto de minha vida, esteja impregnada no meu coração.
Oh, meu Pai, pela Sua misericórdia, pegue em minha mão, desembarace meus pés e guia-me pelo caminho da Sua vontade. Porque somente em Sua Presença há delícias perpétuas, há propósitos e, somente assim não desperdiçarei o meu viver. Em Cristo Jesus, Senhor e Salvador, amém!”


         Finalizando, quero deixar um texto muito interessante que recebi por e-mail  (autor - Maurício Louzada):

          "Que você consiga uma casa maior, mas que quase todos os cômodos fiquem vazios por sua família estar unida ao redor de uma única mesa.
          Que você compre o carro dos seus sonhos e descubra que ele pode ficar parado na garagem enquanto você caminha de mãos dados por um parque.
          Que você realize o desejo de comprar uma televisão enorme, 3D, com home theater, mas que ela permaneça desligada durante o jantar para que você possa ouvir como foi maravilhoso o dia de sua família.
          Que sua conta bancária esteja satisfatoriamente recheada, mas, sobretudo, que você tenha em seu bolso um ou dois reais para comprar algodão doce e saboreá-lo sujando os dedos.
          Que você tenha um excelente plano de saúde mas que se esqueça que ele existe por não precisar usá-lo.
          Que você jante em badalados restaurantes para descobrir em você mesmo e no seu cônjuge o maior chef que existe.
          Que sua internet trafegue em altíssima velocidade, mas que sua melhor rede seja aquela pendurada entre duas árvores, onde você pode ouvir os pássaros cantarem.
          Que você tenha um smartphone de última geração, mas que não precise usá-lo para dizer as pessoas mais importantes de sua vida o quanto elas são especiais.
          Que você tenha um tablet, mas que use mais as pontas dos seus dedos para fazer cafunés do que para mandar e-mails.
          Que você possa comprar boas roupas, bolsa, relógios, mas que sua verdadeira marca seja a inspiração deixada pelos lugares por onde passar.
          E que, assim, conquistando tudo o que você sempre quis, você descubra que mais importante do que aquilo que você tem, é o que você faz com tudo que conquistou" (ou seja, com tudo que Deus me deu...)



sexta-feira, 26 de outubro de 2012

'Quebre o vaso e desfrute o extraordinário'

No filme Mogli (Disney), Balu, o urso, 
canta com disposição:
“Eu uso o necessário. Somente o necessário.
O extraordinário é demais.
Eu digo o necessário, Somente o necessário.
Por isso é que essa vida eu vivo em paz”.

    Faz sentido. Usar e falar o necessário é sábio. Mas, o  necessário não significa avareza, o escasso, o econômico.
A extravagância é necessária, muitas vezes. Ela marca nossa história, resulta em lembranças inesquecíveis e extraordinárias.

Seis dias antes da Páscoa, foi Jesus para Betânia, onde estava Lázaro, a quem ele ressuscitara dentre os mortos. Deram-lhe, pois, ali, uma ceia...
Então, Maria, tomando uma libra de bálsamo de nardo puro, mui precioso, ungiu os pés de Jesus e os enxugou com os seus cabelos; e encheu-se toda a casa com o perfume do bálsamo... (Jo 12.1-3).
Muitos questionam Maria. Entretanto, Jesus a defende com veemência. Declara que ela praticou uma boa ação e que onde fosse pregado o evangelho, seria contado o que ela fez para sua memória (Mt 26.6-13).

Última semana de Jesus na terra como homem e Maria revela uma alma agradecida, abundante. Sem mesquinhez quebrou o vaso com um caro e raro perfume. Poderia ter recolhido o bálsamo noutra vasilha e, simplesmente ter gotejado sobre Jesus. Mas não, Maria foi generosa e deixou um legado admirável.

Que tal quebrar o vaso também?
Quebrar o vaso não é um ato de violência. Ao contrário, neste aspecto é um ato de humildade. É se derramar, é compartilhar do melhor que temos. É se doar. É ousar sair do comum, do 'script', do mediano e investir na excelência, no extraordinário.

Como quebrar o vaso?
      “Quebre o vaso” com o seu cônjuge. Ofereça o seu melhor. Não economize nas palavras de carinho e na demonstração de apreço. 
     “Quebre o vaso” com seus familiares (sogros, pais, filhos, irmãos): programe e faça um jantarzinho especial pra eles, com comidas saborosas, quiçá exóticas e diga o quanto eles são valiosos em sua vida. Dê um presente inesperado e valioso.
       “Quebre o vaso”, ofereça algo especial (seu tempo, atenção, carinho) para alguém solitário, carente, sem esperanças, que sofreu perdas.
       “Quebre o vaso” sobre sua própria vida: presenteie-se com aquela viagem ou passeio tão sonhado.

(Desenho da Deborah)

     E, principalmente, “quebre o vaso diante de Deus”: Derrame o seu coração. Esvazie-se de si mesmo. Retire as máscaras. Peça perdão pelos pecados que tem cometido. Disponha o coração para ser transformado. Exponha seus sonhos, seus medos. Adore-O, agradeça a Deus por tantos benefícios, tanto zelo, tanta misericórdia. Disponha-se por inteiro.
Que o Espírito Santo nos auxilie neste difícil mister porque não há palavras pra agradecer tanto amor, tanta bondade...

       “Quebre o vaso”!  Desfrute de muitos momentos de extravagância. Estes momentos alimentarão sua memória. Na sua velhice poderá pensar no passado e, com um sorriso nos lábios, declarar, com alegria: - 'Valeu! Uhuuu! Não desperdicei minha vida!'

       Que o nosso Deus, Deus do extraordinário, do inesperado, das surpresas nos ensine a “quebrar o vaso” e nos capacite a derramar, com abundância, o óleo perfumado e irresistível da alegria, da cura, da esperança, de novos e fabulosos sonhos.

“Quebre o vaso”!
Oração: "Meu Deus, o Senhor conhece a minha luta, o tamanho da minha dor. Reconheço que tenho pecado, que tenho andado distante da Sua vontade e que necessito da Sua intervenção na minha vida. Quero renunciar, agora, a todas as alianças estranhas que fiz no passado e peço que o sangue de Jesus me lave, me purifique de todo pecado e que o Senhor me ensine, com o Seu Santo Espírito a viver em novidade de vida, como receptáculo de Sua graça, amor e poder. Ensina-me, de agora em diante, a amá-Lo acima de todas as coisas, a obedecê-Lo em tudo e em todo tempo. Ajuda-me a fazer isto, em nome de Jesus, o Único caminho que me leva ao Senhor: Deus vivo, Único e verdadeiro, amém!"

Se você fez esta oração e quer desfrutar de uma nova vida, em Cristo Jesus, procure uma igreja evangélica que use a Bíblia como regra de fé e prática. Colocamo-nos, também, a disposição para ajudá-lo nesta nova caminhada. Escreva para nós: http://destilardosfavos.blogspot.com.br/
 
“O Espírito do Senhor Deus está sobre mim, porque o Senhor me ungiu para pregar boas novas aos quebrantados, enviou-me a curar os quebrantados de coração, 
a proclamar libertação aos cativos...
e a pôr sobre os que em Sião estão de luto uma coroa em vez de cinzas, óleo de alegria, em vez de pranto, 
veste de louvor, em vez de espírito angustiado;
a fim de que se chamem carvalhos de justiça, 
plantados pelo Senhor para a sua glória” (Is 61.1-3)

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

TOPBLOG 100

Feliz em saber que o nosso Blog está na finalista.

Muito obrigada a todos que votaram no primeiro turno!

Conto e agradeço imensamente o seu voto, no segundo turno, para que a Palavra de Deus seja divulgada, mais e mais.


A Ele, o Único merecedor de receber 
toda honra, toda glória, agradeço!

OBRIGADA, SENHOR TODO PODEROSO - El-Shadday (שרי על)
"O homem não pode receber coisa alguma 
se do céu não lhe for dada" (Jo 3.27)

Tudo que temos e que somos provém de Deus. 
Obrigada, Senhor!

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

‘Se não praticar... a casa cai!'

           Há quem diga que nossa geração é marcada por pais fracos e inseguros.
Pais que obedecem e temem seus próprios filhos e que se desgastam para satisfazer todos os seus desejos.
        Muitos deles, são reféns até de crianças de dois, três anos. Pirralhos rebeldes que sufocam e levam os seus pais e familiares ao desespero.
Geração marcada por filhos tiranos que exigem amparo, respeito e, que por sua vez, desrespeitam e desobedecem seus pais, agridem professores e autoridades.

        Entretanto, esta postura de submissão dos pais ao invés de agradar seus filhos, deixa-os alarmados, perdidos ao constatarem a frouxidão daqueles que deveriam ser seus modelos de dignidade e segurança.

No dia dos pais de 2012, refletimos na EBD sobre o tema: 
‘O que os filhos esperam dos pais?’

            1. Os filhos esperam AMOR dos seus pais!
Amor verbalizado:
Você tem filho? Qual foi a última vez que você disse ‘Eu te amo’, pra ele?
Você pode responder: - ‘Não dá mais. Há uma barreira, intransponível, formada ao longo de muitos anos de desavenças’.
Pais, não desanimem, insistam. Peçam ajuda a Deus, tentem quebrar estas barreiras, aos poucos. Acreditem, vai fazer um tremendo bem pra eles e pra vocês!
Deus nos deu exemplo ao revelar publicamente o Seu amor ao Seu filho, Jesus Cristo, e o quanto Jesus alegrava o Seu coração (Mt 3:17).
Amor praticado:
Comprovado pela: paciência; atitudes bondosas; perdão incondicional; humildade para reconhecer seus próprios erros; disponibilidade de atenção e tempo; proteção; provisão!
Amor que abençoa:
Jó e Jeremias nos ensinam a orar, a depositar nossos filhos no altar do Senhor, em todo tempo.
“Levanta-te, clama de noite no princípio das vigílias;
derrama, como água, o coração perante o Senhor;
levante a Ele as mãos, pela vida de teus filhinhos...” (Lm 2.19)

Abençoados são os filhos que possuem pais intercessores, que dobram os seus  joelhos diante do Pai Eterno!
            Abençoados são os filhos cujos pais ensinam, com palavras e atitudes, a crer, meditar e praticar a Palavra de Deus.
            Abençoados são os lares que servem ao Senhor!

            Pais, o mundo inteiro pode se esquecer de você, mas seus filhos jamais se esquecerão de suas atitudes, de suas palavras.
O tempo que dispomos nesta terra é ligeiro e incerto. Será que teremos oportunidade pra corrigir os erros que cometemos? Que legado temos construído? Deixaremos saudades?

            Conta-se que um filho perguntou ao seu pai que trabalhava muito quanto custava a hora do seu trabalho. Após muita insistência, seu pai revelou que ganhava R$ 30,00 por hora trabalhada. Certo dia, o filho chega para o pai e pergunta: - ‘Pai, guardei minha mesada e agora já tenho R$30,00. Posso comprar uma hora do seu tempo para ficarmos juntos?’

            Mais do que advertências e lições de moral os filhos precisam de amor, tempo, relacionamento, orientação! Precisam de um amigo confiável, que ouve, intercede, aconselha, elogia, admoesta, motiva.

            Para que Jó chamava seus filhos?
Para os repreender, bronquear? Não!
Jó os chamava para os santificar! (Jó 1.5)

2. Os filhos esperam COERÊNCIA dos seus pais!
Filhos precisam de pais que pratiquem o que pregam: ‘Ensine, ame o seu filho. Se precisar, use palavras!’ (parafraseando Francisco de Assis que disse: ‘Evangelize. Se for necessário, use palavras’).

Pais só terão autoridade se demonstrarem coerência entre suas ações e suas palavras.
Prometeu? Cumpra!
Não minta, mesmo se tiver perdas! Não há motivação que justifique a mentira: ‘Não existe fada do dente, Papai Noel, homem do saco preto, coelhinho de Páscoa’.
Não se endivide! Ensine responsabilidade, honra aos seus filhos.
Ame e trate com dignidade a mãe de seus filhos! Requisito de Deus para que as suas orações sejam ouvidas (Ef 5.25-29, 1 Pe 3.7).
Seja íntegro, padrão dos fiéis, na palavra, no procedimento, no amor, na fé, na pureza (1 Tm 4.12).
Coerência no falar e no fazer. Ouvir e praticar a Palavra resultam em alegria, segurança, paz e é a herança essencial, mais significativa que os pais podem deixar aos filhos (Lc 6.46-49; 11.27-28). 'Se não praticar... a casa cai!'

3. Os filhos esperam PASTOREIO!
Pais que apascentem seus filhos, que exerçam o sacerdócio!
            Pais que conduzem seus filhos ao conhecimento de Deus!
Pais que estabeleçam limites!    

Certa jovem, filha de mãe solteira, questionava a total liberdade que dispunha e, ansiosa por uma vida digna, procurava praticar os limites que os pais de suas amigas impunham a elas.

Todos nós ansiamos por limites. Eles nos orientam, protegem, tranqüilizam. 

Ande numa estrada sem sinalização. É terrível! Especialmente em meio a tempestades. 

Os filhos precisam de pais que advertem sobre as conseqüências da desobediência, da rebeldia.
     Pais que ensinem, NO CAMINHO, que a obediência a preceitos eternos afasta a dor.
     Pais que ensinem que 'quem não obedece, padece' (Rev. Magno)!
“Ensina a criança no caminho em que deve andar, e,
ainda quando for velho, não se desviará dele” (Pv 22.6)

            Pais que disciplinem com discernimento, com amor assim como Deus nos repreende porque nos quer bem (Pv 3.12).
            Pais que não exigem perfeição dos seus filhos.
Pais que respeitem as limitações, a individualidade, os sentimentos de seus filhos.

“E vós, pais, não provoqueis vossos filhos à ira,
mas criai-os na disciplina e na admoestação do Senhor” (Ef 6.4)

Pais amorosos, que ensinem e corrijam sem desanimar seus filhos (Cl 3.21).
Pais parteiros de sonhos e nunca coveiros de suas esperanças.

Ser pai: tremendo privilégio e responsabilidade.
Há quem diga que não somos ensinados a exercer este precioso ofício. Mas isto não é
verdade!

Deus, na Sua infinita providência, orienta-nos a sermos responsáveis pela educação dos nossos filhos e nos ensina sobre o que, quando, como e onde ensinar para que toda família seja bem sucedida:

“Ouve, pois, ó Israel, e atenta em os cumprires, para que bem te suceda,
e muito te multipliques na terra que mana leite e mel,
como te disse o Senhor, Deus de teus pais.
Ouve, ó Israel, o Senhor, nosso Deus, é o Único Senhor.
Amarás, pois, o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração,
de toda a tua alma e de toda a tua força.

Estas palavras que, hoje, te ordeno estarão no teu coração;
tu as inculcarás a teus filhos, e delas falarás assentado em tua casa,
e andando pelo caminho, e ao deitar-te, e ao levantar-te.

Também as atarás como sinal na tua mão, e te serão por frontal entre os olhos.
E as escreverás nos umbrais de tua casa e nas tuas portas” (Dt 6.1-9)

Que Deus, Pai de amor e infinda bondade,
nos ensine a sermos pais segundo o Seu coração!



Aproveito pra fazer uma homenagem ao Leomam, especial paizão dos nossos filhos, Leandro e Deborah: Parabéns pelo pai que você é! Deus abençoe sua vida!



terça-feira, 23 de outubro de 2012

'Lágrimas que curam...'

'Tá faltando choro...'

O campo tem de ser fragmentado, o ferro derretido, o pomar podado, o trigo joeirado, a correnteza aprisionada acima do moinho. 
Talvez aconteça o mesmo com a vida do homem. 
Da derrota devem nascer grandes conquistas; 
das lágrimas, propósitos; 
do desespero, a esperança” (George Dell, citado por Yancey, 2001)


Certa vez ouvi um comentário que um bom pregador da Palavra não é aquele que faz você sair do culto feliz, satisfeito consigo mesmo, achando que está tudo bem e que não precisa mudar nada.
O bom pastor é aquele que faz a ovelha abrir o coração ao Espírito Santo, de modo que passe a enxergar a sujeira do pecado que cometeu contra Deus e a sentir a dor da separação com o Pai.
Uma Palavra que conduz ao choro pela vergonha do pecado e jamais às justificativas vãs.
Uma Palavra que leva a ovelha, com humildade, a buscar o perdão de Deus, a restauração, a transformação.
O lamento e as lágrimas são a senha para a cura:
“... Ouvi a tua oração e vi as tuas lágrimas;
eis que eu te curarei...” (2 Rs 20.5)


     Que falta tem feito o quebrantamento em nossas igrejas e em nossas vidas.      
     Sem ele, os cânticos tornam-se barulhos estridentes, que exaurem o corpo e a alma e esgotam o espírito.
     Cânticos incapazes de atingirem o objetivo de cultuar o nosso Deus!

     Do que adianta repetir preceitos e praticar o mal, usar a língua pra falar mal do irmão?
      Do que adianta oferecer louvor e carregar rebeldia no coração? (Salmo 50).

"Aborreço, desprezo as vossas festas e
com as vossas assembéias solenes não tenho nenhum prazer.
E, ainda que me ofereçais holocaustos e vossas ofertas de manjares, 
não me agradarei deles... 
Afasta de mim o estrépito dos teus cânticos,
porque não ouvirei as melodias das tuas liras... 
cantais à toa ao som da lira e inventais, como Davi,
instrumentos músicos para vós mesmos" (Amós 5.21-23; 6.5)

A conivência com o mal faz com que ‘adoração’ seja secundária, rasa. 
Cânticos que mexem com o cérebro ou com os ouvidos e jamais com o coração. 
Como adorar a Deus com a cerviz e os queixos eretos, focados na performance, nas frases de efeito e não n'Ele?


Lembro-me, com saudades, da ‘hora silenciosa’, nos cultos da Igreja Presbiteriana de Ribeirão Preto (SP). 
Penumbra, o órgão tocava com suavidade e a gente orava e chorava na presença de Deus. O silêncio só era quebrado por soluços, aqui e alí, e nunca por pessoas conversando ou caminhando...
Era um renovo. O pastor dizia, antes da oração: 
‘Fala, Senhor, que o teu servo ouve’. E como Deus falava...


"Quero voltar aos velhos tempos Senhor, ao primeiro amor.
Faz-me sensível ao pecado. 
Quero chorar quando desobedeço à Sua vontade, 
Não quero me acostumar com o sagrado ao ponto de não lhe conceder o Seu devido valor.
Quero chorar de alegria e emoção ao ouvir as Suas Promessas de perdão e de colheitas abundantes. 
Quero orar e desfrutar das promessas contidas no Salmo 126:
“Restaura nossa sorte Senhor. 
Muda a nossa história de modo que a nossa boca 
se encha de riso e a nossa língua de júbilo.
Que todos vejam e testemunhem que o Senhor restaurou a nossa sorte. 
Que a nossa semeadura e a nossa esperança não foram em vão.
Que a nossa felicidade é resposta de Sua Presença em nossa vida. 
Presença que traz a alegria da Salvação;
o fluir dos mananciais, mesmo no deserto;
o júbilo das colheitas abundantes”

Que o nosso Deus, nos dê visão para (extraído de Baptist Herald):
Olhar para trás com gratidão...

    Olhar para cima com louvor...

        Olhar para dentro com quebrantamento...

            Olhar ao redor com compaixão...

                Olhar para frente com esperança.


E assim prosseguir para o alvo, para a linha de chegada, em busca do prêmio da vitória da nova vida, vida transformada para a qual Deus nos chamou, por meio de Cristo Jesus (Fp 3.14 - NTLH)


E, neste contexto, cumprir nossa missão de pregar o evangelho com o coração quebrantado, disposto, disponível e com muita misericórdia e amor pelas almas perdidas.
Que Deus nos abençoe!

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

'Crer é poder!'

 Aprendendo com o elefante (Loxodonta africana).
Texto Bíblico: “Tudo posso naquele que me fortalece” (Filipenses 4.13)

Certo homem ficou intrigado ao observar um elefante de circo amarrado por uma corrente fina, junto a uma estaca fincada no solo. Perguntou ao tratador: - Como poderia algo tão frágil segurar a força deste elefante? Vocês não temem que ele escape?
O tratador respondeu: - Não. Quando ele era pequeno foi amarrado a correntes e estacas e tentou se libertar e não conseguiu. Agora, já crescido, poderia arrebentar facilmente essa corrente, mas já não tenta mais.

Será que o mesmo não acontece com muitos de nós?
Pessoas que desistiram de lutar, abandonaram sonhos porque suas primeiras tentativas foram frustradas. 
Gente que não teve oportunidade de estudar e não acredita que ainda possa fazê-lo. 
Pessoas de meia idade que não crêem que ainda possam desfrutar de uma vida profissional admirável. 
Casais, cujos casamentos estão naufragando, que não conseguem acreditar que Deus possa restaurar os relacionamentos, o amor e ajudá-los a construir uma nova história.
Gente que se sente impotente diante de tantas pressões, cobranças e desiste de lutar... 

As derrotas do passado os fizeram acreditar que os desafios só são vencidos por quem dispõe de muitos recursos.
Como o elefante, não tentam mais. 
Sentem-se debilitados, sem perspectiva, sem fé.

Porém, a história nos revela que Deus desenvolve projetos majestosos na vida dos que O buscam com submissão; dos que sonham em construir algo novo, mesmo dispondo de poucos meios; dos que se empenham, enfrentam, mesmo diante das impossibilidades.

São professores universitários que iniciaram os seus estudos quando os seus filhos já eram crescidos. 
Empresários que construíram impérios logo após terem sido despedidos dos seus empregos, já na meia idade. 
Pessoas que, fortalecidas por Deus, enfrentaram obstáculos, mesmo quando outros disseram que era tarde demais, que as barreiras eram intransponíveis, que não iriam conseguir.

 Pessoas humildes, quase analfabetas; desempregadas; porém, pessoas que creram, que não desistiram após as primeiras derrotas e, por isso, venceram desafios aparentemente impossíveis. 

Deus levanta o profeta Zacarias (por volta de 520 a.C.) para encorajar o povo de Israel a reconstruir o templo em Jerusalém, após o exílio. 
O povo está abatido com a oposição e a falta de recursos. 
Deus declara que aquele que despreza o dia dos humildes começos ficará alegre ao ver o andamento da obra (Zacarias 4.10).

Que Deus nos ensine a não desprezarmos as pequenas oportunidades, as pequenas iniciativas. 
Que as pedras no caminho sirvam para fortalecer a musculatura das nossas pernas para que avancemos, cada vez, mais rápidos e firmes. 
Que possamos fitar somente em Deus e em Suas promessas. 
Deus que transforma os cenários, traz a existência àquilo que não existe. 
Pai de amor que cria, dentro de nós, uma nova esperança e nos concede uma nova visão.

Para Refletir: Que corrente tem segurado os seus pés e impedido a sua caminhada? 
Palavras duras que ouviu e que murcharam o seu interior?
Clame a Deus por livramento. 
Essas algemas não são suas. 
Você não foi feito para habitar em desertos. 
Você foi feito por Deus para cumprir um projeto, para avançar!

Oração: “Senhor, quero caminhar sem amarras. 
Mostra-me o que tem paralisado os meus passos. 
Deus de amor e graça, que me fortalece e me capacita para toda boa obra. 
Liberta-me Senhor, quebre as correntes e leva-me para um novo caminho, uma nova história segundo Seu querer. 
Em nome de Jesus Cristo, que morreu para que eu fosse livre. Amém!”

terça-feira, 16 de outubro de 2012

'Muito obrigada!'

TOP BLOG - Finalista do Segundo Turno

Acabei de saber por uma amiga que o nosso blog (seu e meu), 'Destilar dos Favos', está na finalista do segundo turno do TOP BLOG.

Vocês não imaginam como esta notícia me deixou emocionada! 
Não tenho palavras pra agradecer pelo seu voto, por tão grande carinho!

Independente do resultado final, o presente que me proporcionaram anima muito o meu coração a prosseguir!


Sinto-me tão pequeninha, tão limitada! E creio que esta benção só pode ser resultado da misericórdia e do amor de Deus que nos une e nos faz um em Cristo Jesus!

Neste momento, curvo-me diante de Deus, agradeço por sua vida e, humildemente, peço a Ele que o abençoe e que Ele me use, pela Sua infinita graça, como canal de bençãos na sua vida.

Ao Deus Altíssimo, o Único digno de receber toda honra, toda adoração e todo louvor, o meu agradecimento.

Abraço em Cristo Jesus,
Regina Helena

"Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram,
Nem jamais penetrou o coração humano,
o que Deus tem preparado para aqueles que O amam" (1 Coríntios 2.9)

SOLI DEO GLORIA!!!

terça-feira, 9 de outubro de 2012

'Será que Deus se esqueceu de mim?'


                            


Você tem se sentido seco, farto, cansado demais? 
Tem orado tanto e o livramento, a mudança que tanto almeja não chegam e você se pergunta: - ‘Será que Deus me abandonou? Onde está Deus?’

Nestes momentos de inquietude, lembre-se e aquiete o seu coração com a promessa de Deus: “...De maneira alguma te deixarei, nunca jamais te abandonarei” (Hb 13.5)

Então, porque tanto sofrimento? 

Tantas frustrações? Tantas traições?


A Palavra de Deus nos afirma que, em Cristo Jesus, somos feituras de Deus para toda boa obra (Ef 2.10). 
Segundo Rev. Hernandes D. Lopes a palavra feitura do grego significa poema
Você é precioso, valioso para Deus. Você é um poema inspirado por Deus, escrito pelas Suas mãos, para encantar o mundo. 
Para viver com você na eternidade, Ele mandou Seu Único Filho, Jesus Cristo, para morrer na cruz. 
Mas para que você seja um canal do Pai para tornar este mundo melhor, é necessário ser polido, lapidado.

      E, sendo assim, nada nos acontece por acaso.


Vamos lembrar da história de Isaque.
Era um tempo de crise, de fome. 
Mesmo assim, com tudo contra, Isaque, em terra estrangeira, semeava. Sua semeadura era abençoada por Deus com abundantes colheitas e ele tornou-se próspero, suscitando inveja nos corações (Gn 26).
Isaque cavava poços que eram entulhados ou tomados pelos seus inimigos. 
Isaque queria ir para o Egito e Deus o impediu. Estava passando por confrontos apesar de estar dentro da vontade de Deus.

Entretanto, apesar das lutas, a certeza da provisão de Deus o fazia caminhar, cavar poços, testemunhar sua fé, sem palavras. 

Até que um dia, Isaque cavou um poço e ninguém contendeu com ele. Chamou aquele poço de Reobote que significa ‘espaços abertos’. 
Finalmente, estava livre para prosperar, sem perturbação.

A história de Isaque mostra que enfrentar os desafios, sem desistir, é essencial pra fortalecer nossos pés e preparar-nos para algo novo e excelente: o Reobote de Deus:
“Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram,
nem jamais penetrou em coração humano o que
Deus tem preparado para aqueles que o amam” (1 Co 2:9).

Reobote: Uma senhora procurou, por dois anos, um terreno para construir sua casa. Após muitas tentativas infrutíferas (o proprietário desistia ou vendia para outro), ela alcançou o seu Reobote: uma casa linda, preço excelente, no melhor lugar que ela poderia almejar.
Reobote: Um rapaz perdeu o emprego. Iniciou uma micro empresa que hoje é referencial. Tornou-se um empresário de sucesso, dono de uma franquia - seu Reobote.

Sente-se sem recursos, atolado, sem perspectiva? Tem buscado a vontade de Deus? 
Então se alegre e aquiete o coração. 
Os poços entulhados podem ser a providência do Todo Poderoso para lhe ensinar dependência, para ampliar sua fronteira de modo que novos e melhores caminhos (seu Reobote) sejam alcançados.
s

‘Pai, sinto-me fraco, abatido.
Fique comigo Senhor, toma conta de minha vida,
dirija os meus passos segundo o Seu querer.
Ensina-me a sonhar os Seus sonhos e a
depender da Sua providência,
a perseverar na fé,
sem deixar de fazer o que compete a mim.
Em Cristo Jesus, amém!’

Leia mais:
http://destilardosfavos.blogspot.com.br/2011/01/frutificando-no-deserto.html